Infertilidade Masculina – Quais os Principais Problemas?

Quando pensamos em gravidez e as dificuldades para engravidar aparecendo, sempre temos a tendência a tomar a responsabilidade para nós mulheres. Sempre é a mulher que vai atrás de exames e mais exames e sempre falamos a respeito do assunto, mas quando se trata de fertilidade o casal tem que ser investigado. A infertilidade masculina ou mesmo do casal pode aparecer depois de um tempo de tentativas. Normalmente, os médicos pedem que o casal espere e faça tentativas durante um ano e se após esse período a gravidez natural não acontecer, aí sim se começa a ir mais a fundo para descobrir as causas do que pode estar acontecendo ao casal.

Há casos em que o homem se recusa a fazer exames, mas é necessário que o casal esteja disposto para uma gravidez acontecer. Exames estes, que podem ser começados por um espermograma normal onde pode descobrir se está tudo bem com os espermatozoides e também mostrar a causa da infertilidade masculina. As condições químicas do sêmen e a qualidade dos espermatozoides, a mobilidade e formato são essenciais para uma fecundação bem sucedida então, a saúde dos espermas deve ser boa.

O exame de espermograma colhido por uma masturbação para essa finalidade normalmente verifica:

  • Volume e concentração de espermatozoide por ml, o normal é ficar em mais de 20 milhões.
  • Mobilidade, a forma e a velocidade que o espermatozoide se movimenta que deve ser maior do que 50% em casos normais.
  • Morfologia, formato correto do espermatozoide, uma cabeça e uma cauda. Morfologia que em um exame normal deve ser maior do que 15% do total ejaculado. O formato ideal é cabeça oval e com cauda longa.

Normalmente a infertilidade masculina pode ser pela baixa concentração de espermatozoide, pela baixa mobilidade e também pela morfologia que em alguns casos chega a ser extrema. Os problemas que são detectados também são:

  • Oligospermia: Menos de 20 milhões de espermatozoides por ml.
  • Oligoastenospermia: Mobilidade e quantidades menores do que o ideal.
  • Teratospermia: Formato inadequado do espermatozoide.
  • Necrospermia: Espermatozoides inativos ou mortos
  • Leucospermia: Alteração dos leucócitos no sêmen que normalmente é algum tipo de infecção.
  • Azoospermia: Falta de espermatozoides
  • Astenospermia: Não se movem como deveriam e são espermatozoides mais lentos.

Acidez do sêmen também pode ser um fator que pode prejudicar a vida dos espermatozoides. Por isso o Ph deve ser equilibrado, tanto do sêmen quanto da cavidade vaginal para que o esperma esteja em um ambiente ideal para avançar em rumo ao óvulo.Todos esses problemas são tratáveis e a maioria dos casos pode ser curada com medicamentos ou procedimentos corretos. Em alguns casos graves a cirurgia pode ser indicada, ou a possibilidade de uma doação de esperma para uma gravidez em casos mais severos e extremos como estetilidade pode ser apresentada pelo especialista em fertilidade, cabe a decisão ao casal e deve ser muito bem pensada.

Fatores externos como tabagismo, roupas apertadas (calças e cuecas demasiadamente justas podem prejudicar muito), varicocele, Dsts (doenças sexualmente transmissíveis como sífilis e clamídia podem ser causadores de infertilidade) ou infecção corriqueira de fácil tratamento que podem as causadoras, também o uso de drogas e substância como anabolizantes e esteroides podem afetar e muito a fertilidade masculina por afetarem o hormônio responsável, a testosterona. O médico urologista pode ajudar com vitaminas do tipo E e em alguns casos de fácil tratamento tribullus terrestres se mostrou muito útil em tratamento de infertilidade masculina porém qualquer causa deve ser analisada individualmente e com critério pelo médico que acompanha o casal.

A importância da investigação simultânea do casal pode encurtar um caminho de sofrimento e cobranças a respeito da gravidez, sofrer sem procurar ajuda não é uma boa ideia e caso seu marido ou companheiro ainda se recuse a fazer exames para verificar a presença de algum problema, basta mostrar esse post a ele e as inúmeras doenças que podem atingir a fertilidade masculina. A leitora Silvana Chaves e seu marido Talles Chaves viveram um momento difícil quando buscavam a gravidez do primeiro filho que hoje tem 1 ano de idade. Veja um pouco mais do caso da Silvana e o marido. “Nós estávamos tentando engravidar há 2 anos quando o médico sugeriu que nós ingressássemos em uma investigação mais profunda. Começamos por mim e logo em seguida o espermograma foi pedido. No dia do exame o Talles estava muito nervoso e quase não conseguiu colher o material para o exame. Ficamos 15 dias esperando o resultado e quando pegamos o papel no laboratório nos assustamos pois ele estava com apenas 2% de espermatozoides presentes no sêmen.

O formato deles também era bem diferente do normal pois alguns tinham 2 caudas, outros 2 cabeças, outros eram achatados e muitos estavam mortos. O médico então sugeriu um tratamento com a eliminação do cigarro, bebidas alcoólicas vitamina E, outro medicamento que ele tomava todos os dias (não me recordo do nome). Cerca de 3 meses depois ele refez os exames e para nossa alegria o resultado do exame estava bem melhor e foi descartada a possibilidade de fertilização in vitro. 4 meses após os resultados e o inicio do tratamento eu engravidei do meu filho Renan que acabou de completar 1 ano. Por isso meninas não deixem de procurar ajuda médica, a opinião de um bom profissional pode ser fundamental par acabar com o sofrimento de um casal. ”

Investigar é a palavra chave para detectar a infertilidade masculina, então a cumplicidade do homem para a gravidez é muito importante. Lembre-se, exames hormonais par o homem também são bem vindos e além do urologista o seu ginecologista também pode solicitar exames para o homem em casos de investigação de fertilidade. Espero ter ajudado

Veja também: Métodos para engravidar parte 1

Foto: Iqbal Osman