Inseminação intrauterina, ou inseminação artificial como é chamada popularmente, é um procedimento que auxilia a realização do sonho de um casal de ter um filho, quando não alcançado em formas naturais. Hoje em dia, a procura por esse procedimento tem aumentado consideravelmente e esta deixando de ser considerado um tratamento de alto padrão.Gerar um filho é a realização de um sonho para muitas mulheres

A inseminação intrauterina é o método utilizado para ajudar a fertilização mais antiga no assunto reprodução assistida e seu tratamento tem se atualizado cada dia mais e ficando cada vez mais de fácil acesso a população ate mesmo de baixa renda. Hoje em dia os casais de baixa renda podem procurar ajuda no SUS (Sistema Único de Saúde) e receber o tratamento em alguns locais integralmente e em outros ainda parcialmente. Ainda são poucos os estados que proporcionam esse tratamento gratuitamente, como: Rio Grande de Sul, Minas Gerais, Pernambuco, São Paulo e Distrito Federal.

As clinicas de fertilização também andam oferecendo tratamentos a baixo custo e facilitando a realização desse sonho para quem não tem um poder aquisitivo tão alto. Já que o tratamento na rede privada pode vir custar até 20 mil reais.

Qual o Procedimento Realizado na Inseminação Intrauterina?

O intuito da inseminação intrauterina é facilitar o encontro do espermatozoide com os óvulos da mulher. Para isso, é realizada a estimulação na produção da ovulação, que é feita normalmente através de medicação injetável e quando pronto, poderá receber por meio de um cateter especializado o sêmen já tratado (os espermatozoides serão separados os mais rápidos e de qualidade para inseminação), sendo introduzidas no útero próximo as trompas. Assim os espermatozoides farão o trajeto natural para encontro do ovulo e finalmente a fecundação. Os passos seguintes ocorrem naturalmente, tendo que aguardar um prazo mínimo de 16 dias após a inseminação para confirmação da gravidez. Caso não tenha sucesso, o tratamento deve ter inicio a um novo ciclo.

E Quando o Homem não Pode ser o Doador do Sêmen?

Existem casos que o parceiro não pode ser o doador para a inseminação intrauterina, por alguns fatores acabam impossibilitando a fertilização, como:

  • Ausência de espermatozoides
  • Abortos repetitivos por fator genético
  • Quando portador de HIV soro positivo

Para isso, pode ser considerada a utilização do sêmen de um doador desconhecido ou ate mesmo de um doador escolhido pelo casal. As chances de sucesso na inseminação intrauterina são de 25% na realização de cada ciclo, e o fundamental é não desistir e nem desanimar no primeiro negativo.

Veja também: Remédios para Engravidar – Ajuda da Medicina

Foto: Franco Pugnaloni