Ter intoxicação alimentar, significa que algo que foi consumido continha algum tipo de bactéria, vírus ou toxina que faz com que o corpo reaja negativamente. Muitas vezes essa reação é caracterizada por vômitos, náuseas ou diarreia o que torna a intoxicação alimentar na gravidez um pouco mais complicada.

A alimentação segura é uma questão bem importante para as mulheres grávidas, por uma boa razão, se a mulher tem intoxicação alimentar na gravidez, pode ser bastante perigoso para o bebê.

Nos piores casos, a intoxicação alimentar na gravidez pode causar aborto espontâneo ou parto prematuro. Caso a gestante desconfie ou sinta qualquer sintoma da doença, é importante buscar ajuda médica o mais rápido possível.
Infelizmente, as mulheres grávidas são mais suscetíveis à intoxicação alimentar devido a mudanças no metabolismo e na circulação.

Infelizmente, as mulheres grávidas são mais suscetíveis à intoxicação alimentar devido a mudanças no metabolismo e na circulação.

Além de náuseas, vômitos e diarreia, sintomas comuns de intoxicação alimentar na gravidez incluem:

  • Dor de cabeça;
  • Febre;
  • Desconforto ou dor abdominal;
  • Desidratação;
  • Fezes com sangue

Com as mudanças constantes que o corpo da gestante experimenta durante a gravidez, pode ser difícil saber se os sintomas como náuseas e vômitos são normais, ou se eles são parte da intoxicação alimentar na gravidez.

É importante se atentar a sintomas que se apresentam de repente, ou que pareçam anormais. Caso não tenha certeza do que se está sentindo, é melhor consultar um médico para excluir uma infecção ou vírus.

Causas de Intoxicação Alimentar na Gravidez

Os alimentos velhos, estragados ou mal acondicionados, são uma das principais causas da intoxicação alimentar na gravidez. Além disso, se a gestante esteve em contato com algo contaminado, e depois foi comer sem lavar as mãos, esse também é um fator para desencadear a doença.

A gestante está mais suscetível às doenças transmitidas por alimentos durante a gravidez porque seu sistema imunológico está alterado. Este estado de imunidade baixa se dá principalmente porque seus hormônios estão em constante variação.

A prioridade do corpo no momento é ajudar a desenvolver outra vida. Fazer o bebê crescer é a principal missão do corpo, e a maior parte da energia está direcionada a essa tarefa.

Por esta razão, as mulheres grávidas precisam ter cuidado com o que comem e como esse alimento está sendo preparado. Além disso, o sistema imunológico do seu bebê está subdesenvolvido. Caso ocorra uma intoxicação alimentar na gravidez, ela poderá ser bastante perigosa para ele.

Tipos de Intoxicação Alimentar

Os tipos mais comuns de intoxicação alimentar são Listeria, E. Coli e Salmonella. Se não forem tratados, todos estes tipos podem ser perigosos durante a gravidez.

Complicações da Intoxicação Alimentar na Gravidez

A Listeria pode causar problemas de desenvolvimento neurológico a longo prazo para o bebê. A infecção por E. Coli pode causar danos ao revestimento dos vasos sanguíneos ou insuficiência renal, muitas vezes tendo como sintoma fezes com sangue.

A Salmonela tem potencial para causar meningite, artrite reativa e bacteremia (bactérias na corrente sanguínea). Em casos extremos, a intoxicação alimentar pode causar aborto espontâneo ou parto prematuro. Por estas razões, é importante ter cuidado com o que comer durante a gravidez.

Como é feito Diagnóstico da Intoxicação Alimentar na Gravidez?

A intoxicação alimentar na gravidez é frequentemente diagnosticada com base no histórico e sintomas. Se a gestante comeu algo que cheirava mal e adoeceu mais tarde, o médico poderá concluir que o alimento ingerido provavelmente a deixou doente.

Caso ela não consiga pensar em qualquer coisa que possa ter causado vômitos e diarreia, o ideal é fazer alguns exames para identificar a causa.

Às vezes, quando um grupo de pessoas fica doente depois de comer um determinado alimento, a vigilância sanitária pode rastrear e identificar a origem da infecção, analisando a comida duvidosa. Isso ocorre quando há grandes
surtos de Salmonella.

Tratamento da Intoxicação Alimentar na Gravidez

A desidratação é uma das complicações mais comuns da intoxicação alimentar na gravidez. Por causa da diarreia e dos vômitos constantes o organismo tende a perder muito líquido.

Para reabastecer o líquido perdido, é importante aumentar o consumo de água. Caso esteja vomitando demais, comece lentamente a beber um gole de água até que o líquido seja tolerado, então, hidrate-se lentamente a partir daí.

Tenha em mente que o corpo é composto principalmente de água. Que é o purificador mestre, a substância que limpa e desintoxica o organismo. Manter a ingestão de líquidos contínua desempenhará um papel importante na rapidez com que o corpo se recupera da doença.

A água é a maneira mais econômica e universalmente eficaz de ajuda ao corpo em direção a cura. O ideaI é consumir água limpa e pura de um filtro doméstico confiável ou agua mineral de garrafa.

É importante informar o médico caso fique desidratada. A desidratação grave durante a gravidez pode precisar de hospitalização para medicação ou soro diretamente na veia.

Como Prevenir a Intoxicação Alimentar na Gravidez?

A alimentação segura é muito importante durante a gravidez. Para evitar ficar doente, o ideal é seguir todas as instruções do médico na hora de preparar alimentos. Evite os alimentos que não são indicados na gravidez, e lembre-se de lavar bem as mãos antes de prepará-los ou consumi-los.

Existem várias precauções que você pode tomar para minimizar as chances de contrair uma intoxicação alimentar na gravidez. São elas:

  • Mantenha os alimentos crus separados dos alimentos prontos para comer.
  • Cozinhe completamente a carne crua. Use um termômetro de carne, se necessário. Algumas bactérias prejudiciais não podem sobreviver a altas temperaturas.
  • Armazene os alimentos perecíveis com segurança.
  • Preste atenção nas datas de validade.
  • Armazene os alimentos na geladeira para mantê-los sempre mais frescos.
  • Opte por descongelar alimentos em vez de deixá-los que descongelem em temperatura ambiente.
  • Evite carnes embaladas sempre que possível.
  • Lave bem as frutas, verduras e legumes antes de comer.

Os alimentos que devem ser evitados durante a gravidez incluem:

  • Carne malpassada ou crua, aves, frutos do mar ou ovos
  • Sucos de frutas ou de vegetais não pasteurizados
  • Carne e queijos curados
  • Carnes embaladas

IMPORTANTE: Livrar-se dos sintomas de intoxicação alimentar pode ser um período bastante ruim, especialmente durante a gravidez. Sempre fale com o seu médico para decidir qual é a melhor abordagem de tratamento.

Infelizmente, a intoxicação alimentar nem sempre pode ser tratada em casa. O médico pode recomendar e prescrever medicamentos. Casos mais graves de intoxicação alimentar na gravidez podem exigir antibióticos.

A listeria durante a gravidez é comumente tratada via internação e quase sempre são prescritos antibióticos intravenosos.
Por isso, cuide-se!

Veja Também: O Que Não Pode Comer na Gravidez?
Fotos: aricjohnsonlive