Quando uma mãe descobre que está gravida, a primeira coisa que ela pensa é que precisa comprar tudo o que vê pela frente para o bebê, especialmente se for mãe de primeira viagem, mas depois que ele nasce, é fácil perceber vários itens inúteis no enxoval.

A publicidade brilhante é projetada para vender milhares de coisas fofas para o bebê, mas, não se deixe enganar: muitas coisas que estão no mercado são desnecessárias e a maior parte delas será usada por alguns meses no máximo, com isso se tornam itens inúteis no enxoval.

É possível manter o bebê feliz por muito menos se a mãe ao invés de procurar listas prontas na internet, pesquisar com amigos e parentes que já tiveram filhos o que realmente se usa para não gastar com itens inúteis no enxoval.

Sugestões a Serem Consideradas na Lista de Enxoval

Aqui estão algumas dicas para considerar principalmente pela praticidade e correria do dia a dia com um bebê:
Certifique-se de que dá para limpar – Evite qualquer coisa que não possa ser jogado na máquina de lavar roupa ou que possa ser limpo facilmente.

Fuja de itens de uso único ou coisas específicas para bebê, recorra a itens que possam ser usados pelo bebê nos próximos anos.

Opte por segunda mão – No instante em que o bebê cospe, vomita ou faz cocô em qualquer coisa (e, ele fará), o item se torna “usado” e vale uma fração do que pagou por isso. Livre-se da depreciação e compre usado para começar. Também abrace roupas usada que atenda às suas necessidades, e passe as coisas para frente quando não precisar mais delas. Se for comprar cadeirinha usada para carro, certifique-se de que não possui nenhum problema, e os berços usados também devem atender às recomendações de segurança mais recentes.

Seja seletiva – Itens como mamadeiras e chupetas com designers modernos custam mais, mas raramente funcionam melhor. Invista em opções orgânicas e livre de toxinas, ao invés de marcas famosas.

Experimente – Tente opções diferentes se puder, antes de comprar.

Não compre mais do mesmo – Itens pequenos, como chupetas não devem ser compradas sem saber se o bebê irá se adaptar (uma dúzia de chupetas erradas não serão úteis no meio da noite se o bebê for exigente).

Mantenha os produtos nas embalagens – Deixe também as etiquetas e a nota fiscal (se comprou, se ganhou é bom saber de qual loja foi) até que tenha certeza de que o item será usado.

Em caso de dúvida sobre uma compra, aguarde! Cada caso é um caso e a preferência dos pais e do bebê são diferentes. O que funcionou perfeitamente para o seu melhor amigo pode ser completamente inútil para você ou seu bebê. Espere até ocorrer uma necessidade e depois procure um produto para resolvê-lo, ou uma maneira de lidar com ele sem comprar algo. As necessidades dos bebês vão em etapas e a maioria das etapas é muito curta. Pode ser muito tentador preencher o seu cantinho com tudo o que seu bebê possivelmente pode precisar até que ele vá para o jardim de infância, mas espere um pouco e poupe o dinheiro. As lojas não vão a lugar nenhum.

O Que Pode Ser Riscado da Lista de Enxoval de Bebê

Aqui estão alguns itens inúteis no enxoval que podem ser facilmente descartados ou substituídos:

Kit Higiene – pesar de existirem modelos muito fofos no mercado, o kit composto por potinhos para algodão, cotonete e garrafa térmica é pouco usado e acaba servindo apenas como decoração.

Máquina elétrica para tirar leite – É uma boa aliada das mamães, mas costuma custar caro. Então, se você tem oportunidade de ficar 6 meses de licença maternidade, espere para ver como será seu fluxo de amamentação e a rotina de seu bebê para avaliar a real necessidade da compra.

Travesseiro – Até o primeiro ano de vida do bebê, os travesseiros não são necessários para o recém-nascido dormir. A pediatra Lia Brasil ressalta que todos os bebês têm refluxo, mas poucos desenvolvem a doença do refluxo, ou seja, apenas invista em travesseiros especiais caso seja realmente necessário. Caso contrário, vale investir apenas no colchão com inclinação (que vai de 15 a 20 graus) que já é suficiente. O importante é que o espaço entre o colchão e a cabeça mantenham a coluna da criança alinhada e as vias respiratórias mais livres.

Aquecedor de mamadeira – A ideia é facilitar na hora de aquecer a mamadeira do bebê, mas acaba sendo totalmente dispensável. A maioria das mães acaba optando por “servir” a mamadeira em temperatura ambiente mesmo.

Termômetro para banho – Assim como o aquecedor de mamadeira, a ideia é deixar os pais mais seguros na hora de conferir a temperatura da água para o banho do bebê, nada que o velho hábito de colocar o cotovelo na água não resolva.

Cueiro – É um quadrado de tecido, geralmente flanela que serve para enrolar o bebê. Era muito usado antigamente, porém hoje em dia serve para pouca coisa.

Perfume e colônias – Evite comprar muito para “estocar” pois além de perderem a validade, você também corre o risco do seu filho ser alérgico e acabar desperdiçando os produtos. Prefira ir comprando aos poucos, de acordo com a necessidade da criança.

Chupetas fase 1, fase 2 e porta chupetas – O ideal é não utilizar chupetas, mas caso queira é melhor comprar depois para ver se o bebê realmente irá se adaptar e ir mudando de acordo com cada fase.

Aquecedor de lencinhos – Você sabia que dez segundos depois de remover o lencinho do aquecedor ele fica frio de novo? Será que os bebês realmente precisam de lencinhos semi-quentes em seu bumbum?

Posicionador para dormir – Pode ser um travesseiro mesmo. Mas isso só para os primeiros dias. Depois o bebê já entende que saiu da barriga da mãe e não toma mais susto ao se mexer.

Jogos de lençol para carrinho – Nunca usa, geralmente os pais dobram uma cobertinha e colocam embaixo do bebe e isso basta.

Muitos sapatos e roupas caras – Tudo bem que não é fácil resistir à tentação quando o assunto são roupas para bebês. Mas além de lindas elas também são muito caras e a maioria acaba sendo repassada com etiqueta. Na hora de preparar o enxoval priorize roupas que sejam realmente necessárias e fique atenta para a estação do ano.

Chupeta alimentadora – Um dos produtos da atualidade que promete alimentar o bebê em fase de introdução alimentar. Pode até parecer útil, mas esse objeto faz com que o bebê perca a oportunidade de conhecer a textura e o sabor real dos alimentos. Além das redinhas serem pouco higiênicas pois os pais não conseguem limpar corretamente após alimentar a criança. O melhor mesmo é amassar o alimento com o garfo.

Enfim, poderíamos acrescentar mais uma série de itens inúteis nessa lista e ainda assim esqueceríamos de outros. Como dito acima, o mais recomendado é antes de comprar pesquisar o real uso de cada item e se ele foi realmente usado por pessoas que já têm bebê. Economizar nessa fase é essencial para as próximas que virão.

Veja Também: Dicas Para Mãe de Primeira Viagem – Como se Organizar?
Fotos: Miesha Moriniere