Todos nós, em um determinado momento de nossas vidas, passamos por desconfortos na garganta. Nem sempre é seguido somente de inflamação, e pode se agravar com uma irritação maior e até mesmo rouquidão. Esse problema recebe o nome de laringite.

O que é laringite?

A laringite é uma inflamação da laringe, onde se encontram as cordas vocais. Esta inflamação provoca irritação e edema, gerando assim, uma rouquidão. Geralmente é causada por uma infecção ou dano à laringe.

Laringite Aguda

É considerada laringite aguda infecções que duram pouco tempo e são causadas por vírus semelhantes ao que causam o resfriado ou a gripe e são o tipo mais comum de infecção associada à laringite.
Os tipos mais raros de infecção incluem:

  • Infecções bacterianas – como a Difteria
  • Infecções por fungos – tais como CandidaAlbicans (candidíase)

As pessoas com sistemas imunológicos enfraquecidos, causadas por condições como o HIV ou como resultado de quimioterapia ou medicação esteroide, tem maior risco de laringite causada por fungos ou no termo médico: laringite fúngica.

Laringite crônica

A laringite também é muitas vezes causada pelo uso incorreto da voz, como:

  • Falar alto em ambientes com muito barulho;
  • Utilização excessiva do telefone celular;
  • Usar um tom de voz inadequado (muito alto ou muito baixo) quando se fala;
  • Cantar ou palestrar por longos períodos.

Forçar a voz, pode fazer com que que as cordas vocais vibrem a uma velocidade mais rápida do que deveria. Essa vibração excessiva pode danificar a superfície de suas cordas vocais, fazendo com que elas se inflamem.

A laringite causada por dano à laringe é conhecida como laringite crônica.

Causas com menor frequência na laringite crônica incluem:

  • Pancada direta na laringe – como um golpe na garganta, um acidente ou uma lesão esportiva;
  • Tosse prolongada;
  • Limpeza frequente da garganta (pigarro).

Causas comuns:

  • Tabagismo – a exposição excessiva à fumaça do cigarro causa uma irritação na laringe.
  • Consumo exagerado de álcool – o álcool é uma substancia extremamenteirritante que pode secar e irritar a garganta.
  • Doença de refluxo gastresofágico (DRGE) – o refluxo do suco gástrico para a garganta pode causar uma variedade de sintomas no esôfago, bem como na laringe. Rouquidão (crônica ou intermitente), problemas para engolir, uma sensação de bolo na garganta ou dor de garganta são sintomas comuns causados pela irritação do ácido do estômago na garganta.
  • Sinusite crônica – É a inflamação das mucosas e seios da face que podem causar alterações nas vias respiratórias.
  • Reações alérgicas a substâncias como fumaça, produtos químicos, poeira e toxinas.

Outras causas para a rouquidão crônica:

  • Pólipos ou cistos nas cordas vocais
  • Paralisia das cordas vocais (por exemplo, o uso de um tubo traqueal durante uma cirurgia)
  • Câncer
  • Hemorragia nas cordas vocais

Laringite alérgica

A laringite alérgica é o contato com as substâncias que causam alergia. E deve ser tratada com anti-histamínicos.

A Laringite é contagiosa?

Esta não é uma pergunta fácil de responder. Seja ou não laringite contagiosa, depende do tipo de laringite. Nem todas as formas dadoença são as mesmas.

  • Laringite viral

Se a laringite viral é contagiosa ou não, não se tem certeza. Em muitos casos, a laringite viral está associada a um resfriado ou gripe. Os sintomas incluem dor de garganta, tosse, fadiga, dores no corpo, febrebaixa e todos os outros sintomas que tendem a acompanhar o resfriado comum e a gripe.

Embora os vírus sejam normalmente inalados de gotículas no ar que são produzidas por um portador do vírus, a laringite viral não é contagiosa por si só. O frio ea gripe que causam a laringite são, no entanto, bastante contagiosos. Portanto, é seguro cobrir a boca sempre que tossir ou espirrar para evitar a passagem de germes para todos os que estão em volta. Se está com um caso de laringite viral, não precisará ser tratado com antibióticos. Basta descansar e tomar muito líquido. A vaporização ou nebulização com soro também podem aliviar alguns dos sintomas.

  • Laringite bacteriana

Se o caso é uma laringite bacteriana, a resposta para “A laringite é contagiosa?” É definitivamente sim. A laringite bacteriana ocorre quando a laringe fica infectada com bactérias.

Há como saber se a laringite é bacteriana se a enfermidade é acompanhada por febre, dor severa na garganta, dificuldade de deglutição e secreção nasal de cor amarelada, bem como outros sintomas da infecção do trato respiratório superior, como dor de cabeça, pressão no rosto, dor de ouvido, ouvido entupido ou glândulas inchadas no pescoço.

Se tiver algum desses sintomas, fique em casa, tome os antibióticos prescritos pelo médico e tente evitar falar. Cubra a boca sempre que tossir ou espirrar e lave as mãos regularmente para evitar que a doença se espalhe.

  • Laringite Fúngica

Este tipo de laringite é considerado contagioso, uma vez que é possível transmitir a doença de pessoa para pessoa. No entanto, a transmissão requer contato físico direto. A laringite fúngica é causada por fungos.

O mais comum desses organismos é chamado CandidaAlbicans geralmente vive em nosso organismo, mas, em circunstâncias favoráveis podem se multiplicar em excesso causando algum problema.

Os fungos geralmente não causam infecção, no entanto no caso de baixa imunidade, eles podem penetrar barreiras naturais de sangue e tecido, o que pode levar à infecção da laringe e de outros órgãos. A laringite fúngica é caracterizada por sintomas que ocorrem lentamente e combinam os sintomas de laringite viral e bacteriana – rouquidão, tosse, dor de garganta e ouvido.

Geralmente, a laringite fúngica pode ser diagnosticada visualmente, pois as típicas lesões fúngicas serão visíveis na boca e na garganta. A laringite fúngica pode ser tratada com medicamentos antifúngicos, como anistatina.

Sintomas da Laringite

Primeiro, é preciso saber que qualquer inflamação do trato respiratório não ocorre de uma vez, tudo acontece de forma gradual. A infecção se espalha a partir da parte superior do nariz, e logo após ocorrem os primeiros sintomas que são:

  • Irritação e coceira na garganta
  • Tosse
  • Garganta seca
  • Dor
  • Rouquidão

Diagnóstico da Laringite

Normalmente, o médico pode identificar a laringite fazendo um exame físico que provavelmente incluirá tocar o pescoço do paciente, afim de encontrar áreas sensíveis ou caroços. Também serão avaliados garganta, boca e nariz.

Caso haja problemas de voz e rouquidão que não apresente uma causa óbvia e que persistem por mais de duas semanas, o médico pode solicitar encaminhamento a um especialista (otorrinolaringologista).

A aparência de suas cordas vocais e o ruído de sua voz vai ajudar o médico a descobrir se a laringite vai embora por conta própria ou se você precisa de tratamento. Além disso, esses exames podem ser realizados pelo otorrino:

  • Vide laringoscopia – a laringe é visualizada através de uma câmera e pode-se detectar alterações como nódulos, pólipos ou até tumores em fase inicial
  • Biópsia – as amostras de tecido são retiradas com o auxílio do laringoscópio

Tratamento de Laringite

Na maioria dos casos, a laringite melhora em uma semana sem tratamento. Basta descansar o máximo que puder a voz e seguir algumas indicações:

  • Não fumar e evitar locais onde há fumo passivo
  • Evitar permanecer em ambiente secos ou empoeirados
  • Beber bastante líquido para evitar a desidratação – particularmente água (evitar álcool e bebidas com cafeína), mesmo que a ingestão possa ser dolorosa
  • Com indicação médica, tomar algum tipo de analgésico, como paracetamol ou ibuprofeno – o que pode aliviar qualquer dor, dores de cabeça e febre, associadas à enfermidade. Observação: Crianças menores de 16 anos não devem tomar aspirina.
  • Fazer gargarejos com água morna e salgada (não recomendado para crianças) ou pastilhas para a garganta, que podem ajudar a aliviar a dor
  • Aquecer o pescoço com compressa quente
  • Usar umidificadores de ar – que podem acalmar as vias aéreas e ajudar a mantê-las limpas
  • Evitar falar quando possível e falar baixo quando precisar, mas não pode sussurrar pois isso pode forçar suas cordas vocais aumentando a laringite

A terapia vocal é um tipo de terapia de fala e linguagem que estuda o uso da voz, e como isso pode contribuir para uma inflamação crônica da laringe.

É importante evitar a automedicação, pois os casos de infecção bacteriana em que o tratamento não é realizado de forma adequada, o paciente pode ter o quadro agravado para casos de febre reumática e problemas renais.

Laringite em gestante

A laringite em gestante deve ser motivo de preocupação, se a causa é de natureza viral. Porque a infecção pode penetrar a placenta e infectar o bebê. Podendo gerar muitas vezesna fase inicial da gestação, malformações congênitas. No segundo e terceiro trimestres pode levar a parto prematuro. Portanto, é importante diagnosticar o mais rápido possível para iniciar o tratamento.

O uso de medicamentos durante a gravidez não é recomendado, poispode prejudicar o desenvolvimento do bebê. Por isso, no tratamento da laringite, as mulheres grávidas precisam repousar, manter uma dieta equilibradae cuidar da voz, ou seja, falar o mínimo possível.

A febre é um indicador da luta do corpo contra as infecções, não há motivo para entrar em pânico por causa dela. Só utilize medicamento para diminuir a febre caso esteja muito elevada.

A ingestão de líquidos é um grande ajudante no combate da doença. Portanto, tomar bastante agua é fundamental para a recuperação. Chás e sucos também são bem-vindos. Para que a recuperação ocorra mais rápido é necessário fornecer ao corpo uma dose de “choque” de vitaminas e minerais (devem ser tomados todos os dias).

Laringite em crianças

A laringite em crianças diferente de adultoscomeça subitamente. Muitas vezes mesmo sem um aumento da temperatura, a criança torna-se apática, se recusa comida e água, porémapresenta alterações de voz, chiado e tosse.

A laringite em crianças se desenvolve através de vírus ou bactérias que alcançam os tecidos da mucosa da laringe e traqueia, causando inflamação. Como resultado, a inflamação que causa acúmulo de muco, edema da mucosae estreitamento da laringe, que contribui para a dificuldade de respiração.

Desenvolve uma inflamação aguda do trato respiratório superior, acompanhada de congestão e corrimento nasal, febre baixa e tosse. A condição geral da criança durante o dia é bastante satisfatória, mas à noite, ocorre a dificuldade para respirar, o que provocauma tosse forte.

Laringite estridulosa

A laringite estridulosa é a inflamação da laringe também causada por vírus e que, na maioria das vezes acontece em crianças pequenas. Em geral assusta, em razão dos seus sintomas, mas normalmente não é perigosa.

Ela recebe esse nome por causa da rouquidão e tosse seca, também conhecida como “tosse de cachorro”, que piora à noite e pode causar vômitos, bloqueio pequeno ou moderado das vias respiratórias, dificuldade de respirar.

A laringite estridulosa geralmente ocorre até o 3º ano de vida e dura de 3 a 7 dias. Ela deixa de acontecer nas crianças mais velhas porque a traqueia cresce e se torna mais larga. O tratamento é o mesmo para laringite em para adultos e crianças, mas algo que ajuda muito é manter um umidificador na cabeceira da cama.

Caso não tenha um aparelho umidificador, colocar uma toalha molhadapróxima à criança ou uma bacia com água no canto do quarto também resolveFazer uma vaporização na hora do banho. Basta dar um banho quente de porta fechada para que se forme uma quantidade grande de vapor que a criança possa respirar.

Tratamentos Naturais para Laringite

É importante lembrar que o médico deve ser consultado antes de iniciar tratamentos alternativos.

Vários métodos eficazes podem complementar o tratamento médico como por exemplo:

  • Gargarejos com sumo de beterraba
  • Envolver o pescoço com batata cozida morna e esmagada. Usa-se um pano para envolver o pescoço
  • Chás quentinhos adoçados com mel (nãoindicado para crianças menores de 1 ano)
  • Inalação de vapor de ervas (camomila, menta, eucalipto e etc.).

Como Prevenir

Para prevenir a laringite, o principal conselho é prevenir os quadros de infeções das vias respiratórias superiores, como gripes, sinusites e resfriados.

  • Não fumar e evitar locais onde há fumo passivo
  • Evitar permanecer em ambiente secos ou empoeirados
  • Beber bastante líquido
  • Manter a casa bem ventilada
  • Manter hábitos de higiene
  • Evitar lugares com aglomerações ou com pouca circulação de ar

Todas essas informações são um ótimo guia para sua saúde!

Veja Também: Tosse Infantil – Entenda Mais Sobre Esse Sintoma

Fotos: mashko-apchi, BruceBlaus, Taken, Ryan Boren