Quando chega um bebê em casa, toda a casa e sua rotina se transformam radicalmente. É hora de aprender a mudar de hábitos em diversas maneiras, principalmente quando falamos em higiene. Pequenas atitudes como lavar as mãos para pegar o bebê, por exemplo, precisam ser aprendidas por diversos motivos.

Primeiramente porque os bebês são muito sensíveis a bactérias devido a sua baixa imunidade. Bactérias essas que não nos fazem nenhum mal, mas para eles podem causar grandes transtornos de saúde. Mas para entender melhor a importância de pequenas atitudes no dia a dia, vamos explicar como o sistema imunológico de um bebê funciona e como ele se desenvolve.

Como Funciona o Sistema Imunológico de um Bebê?

Se você já teve um bebê sob seus cuidados, sabe que eles são muito frágeis e costumam ficar doentes muito mais facilmente do que nós. Isso porque o sistema imunológico deles funciona de maneira diferente, justamente por ainda estar em formação.

A grande maioria das mortes de crianças (cerca de 50%) registradas no mundo, são de bebês com menos de 4 semanas de vida. Isso porque quanto menor o bebê, mais baixa é a imunidade e, consequentemente, mais frágil ele é.

Felizmente toda essa fragilidade não significa que você deve se desesperar ou que seu bebê pode estar prestes a morrer a qualquer momento. Significa apenas que todos os cuidados indicados devem ser feitos com atenção para que, durante seu desenvolvimento, o sistema imunológico do bebê também fique cada vez mais forte.

A amamentação é a principal forma e fonte de fortalecimento do sistema imunológico de um bebê. Por isso é de extrema importância que todo bebe seja amamentado pelo menos até completar os 6 meses de vida.

Bactérias Mais Perigosas Para um Bebê

Antes de mais nada, é importante ressaltar que bactérias que são comuns para nós e não nos atingem de quase nenhuma forma podem ser grandes vilãs para os bebês. Essa é uma das principais razões pelas quais lavar as mãos para pegar o bebê deve ser uma atitude rotineira e que faz parte da vida de todos que cercam a criança.

Essa é a melhor forma de evitar que ele possa contrair alguma doença e ao mesmo tempo deixa que seu desenvolvimento ocorra sem grandes problemas. Outro ponto que também vale a pena ser dito é que doenças fazem parte da vida de todos os seres humanos, desde os mais novos até os mais velhos.

É simplesmente impossível impedir que o seu bebê fique doente em algum momento da vida. O que não é comum de acontecer é o bebê estar sempre doente, precisando ir ao hospital com problemas sérios com grande frequência. É nessa hora que os pais devem repensar na forma como estão cuidando de seu filho.

Quais as Doenças Mais Comuns em Bebês?

Algumas doenças que são muito comuns em bebês, podem ser evitadas com atitudes como lavar as mãos para pegar o bebê por exemplo. São algumas delas:

  • Gripe
  • Virose
  • Otite

Vamos falar sobre cada uma delas mais detalhadamente para você entender como elas atingem os bebês e quais são as suas consequências.

Gripe

Talvez a doença mais comum não só em bebês, mas todos nós, a gripe se aproveita do frágil sistema imunológico dos bebês, especialmente no primeiro ano de vida. O controle da febre e da respiração da criança ajuda a fazer com que a doença vá embora, mas é importante estar atento para que o bebê não fique gripado com frequência.

Virose

As famosas viroses são uma verdadeira dor de cabeça para as mães. Causam vômitos, diarreias, cólicas e mal-estar nos bebês. Mas apesar de ter tantos efeitos, essa não é uma das doenças mais perigosas, sendo sua principal consequência a desidratação. Por isso é importante que o bebê esteja sempre muito bem hidratado e que, caso já come alimentos sólidos, tenha uma dieta com pouca gordura e com alimentos de fácil digestão.

Otite

A otite nada mais é do que uma infecção no ouvido, muito comum nos bebês, principalmente no inverno. Quando bactérias presentes no nariz e na garganta se alastram até os canais do ouvido, a otite pode aparecer. Ela pode aparecer em diversos níveis e chegar a causar muita dor nos bebês e o tratamento geralmente é feito com antibióticos.

Baixa Imunidade do Bebê: Como lidar?

É muito comum que bebês fiquem doentes com certa facilidade e isso, como já citamos anteriormente, se deve ao sistema imunológico dele que ainda está em desenvolvimento. Para que a baixa imunidade do bebê não se torne um problema, existem algumas atitudes que você pode tomar, por exemplo:

Doenças sempre vão aparecer em todas as pessoas, não importa a idade. É bom você ter isso em mente e não se desesperar na hora que seu filho ficar doente. Porém, tomando essas atitudes simples, você pode proteger seu bebê e evitar que sua baixa imunidade se torne um problema para a sua saúde.

Outras Cuidados a Serem Tomados

Além de lavar as mãos para pegar o bebê, algumas outras atitudes também podem ser tomadas para evitar que ele se contamine de alguma forma. Algumas dessas atitudes são:

  • Limpar corretamente o bebê ao trocar as fraldas e jogá-las em um local adequado onde o bebê não terá contato;
  • Dar banhos regulares nos bebês;
  • Evitar o contato de bebês com quaisquer tipos de resíduos como lixo, por exemplo.

Ao tomar essas atitudes, você protegerá o seu bebê de muitas bactérias que podem causar doenças sérias. Porém, como já foi dito anteriormente, nem sempre é possível evitar que uma doença apareça e, quando isso acontecer, é imprescindível manter a calma e cuidar do bebê da melhor forma possível.

Ter um bebê significa passar por grandes mudanças. Mas, às vezes, as pequenas mudanças podem fazer muita diferença para que o seu dia a dia e também o da criança sejam melhores, mais leves, mais saudáveis e livres de certos perigos.

É claro que apenas tomar algumas atitudes como lavar as mãos para pegar o bebê não vão te livrar de todos os perigos existentes, mas com certeza irão ajudar a evitar que alguns problemas ocorram.

Lembre-se sempre de todas as atitudes que podem ser tomadas para evitar problemas e fazer com que o seu bebê corra o menor número de riscos. Essa é uma das formas de cuidado e de manter o seu bebê saudável desde os primeiros meses de vida.

Veja Também: 3 Dicas Sobre as Visitas aos Recém-Nascidos
Foto: Public Domain Pictures