Quando citamos a palavra madrasta, facilmente associamos a uma figura má, que trata mal os filhos de um primeiro relacionamento do seu companheiro. Aquela imagem da madrasta da branca de neve, sabe? Mas temos que ressaltar que a vida não é um conto de fadas e as pessoas são diferentes e agem diferentes. Com isso, afirmamos que existe sim a madrasta do bem!

A desconfiança de deixar seu bem mais precioso aos cuidados de outra mulher, sem nenhuma ligação e vínculo com seu filho é inevitável no início. E se ela não gostar dele? E se não cuidar direito no tempo que estiverem juntos? E se desfazer da criança quando deveria estar zelando?

Alienação Parental

Para a mãe é um passo muito duro, mas acredite para a madrasta também é. Viver esse papel tão taxado e cheio de estigmas é um verdadeiro obstáculo, repleto de cobranças e medos. Afinal, e se a criança não gostar da nova esposa do papai? Conquistar um enteado é tarefa muitas vezes árdua, ainda mais se não tiver a colaboração da mãe.

Algumas mães invés de ajudar a criança a associar a nova condição do pai, faz a vida virar uma verdadeira competição de quem cuida e faz mais. Essa questão entra também um pouco na alienação parental, que faz um mal danado na cabecinha da criança.

Os pais devem ter em mente, que em primeiro lugar está a saúde física e mental da criança. Crianças precisam se sentir acolhidas, amadas e seguras aonde estiver e mesmo no caso dos pais separados, isso é fundamental, ainda mais se for um caso de guarda compartilhada.

Ligação Madrasta e Enteado

A madrasta do bem pode investir em várias maneiras para ter uma boa relação com seus enteados. Porém é necessário passar pela fase de conhecimento e descoberta para ambos os lados. Não ache que será da noite para o dia, afinal a ligação entre madrasta e enteado acontecerá com o tempo, com a convivência e os laços e afinidades vão acontecendo.

Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!

Um ponto importante para uma relação saudável, é se possível manter um bom convívio com a mãe e sempre respeitar as decisões tomadas por ela. A madrasta do bem é aquela que cuida com amor, se dedica, trata como seu, mas acima de tudo respeita e acata os desejos dos pais.

Nunca, jamais critique a atitude da mãe do seu enteado. Por mais que tenha atitudes que você não concorda, não deve ser falado aos filhos. Faça o papel de apaziguadora, aquela que une, que alinha, que ajuda e terá um papel muito importante na família.

Sempre aja com transparência, determinando para os enteados o que espera e pretende com eles. Não force ser algo que não é e muito menos aja de maneira forçada. Crianças são sensíveis e sentem quando não é verdadeiro e podem acabar criando certo receio ou cisma, o efeito totalmente contrário do que se espera, não é mesmo?

Não force a barra, algumas crianças têm mais dificuldade em se abrir, se envolver, ainda mais quando se trata do seu pai. Dê tempo e oportunidade suficiente para conhece-la e ver o quanto pode ser divertido a relação de vocês.

Realmente não é uma tarefa fácil e é necessário muita maturidade para lidar com tudo isso e acima de tudo, muito amor. A madrasta do bem é aquela que vem para agregar a vida da criança, mas jamais tomar o lugar da mãe.

Ser madrasta não significa que não tem responsabilidade e nem precisa se esforçar para cuidar do seu enteado. Mas sim, saber aceitar que seu esposo tem filhos que precisam da presença dele, do cuidado e do amor mesmo que a família tenha se desfeito.

A madrasta do bem age com sabedoria e com amor, não coloca seus interesses a frente de seus enteados e se preocupa com o bem-estar das crianças como se fossem suas. Mas não desanime caso tenha tido a impressão que as crianças não tenham gostado de você. Muitas vezes pode ser da sua cabeça, insegurança ou que seja muito cedo ainda para todos.

Nada melhor que o tempo para estreitar laços e criar afinidades. Deixe o tempo correr, faça sua parte com amor e esteja ao lado do seu marido sempre para apoia-lo nos cuidados com os filhos.

Relação Mãe e Madrasta

Quando o assunto é mãe e madrasta pode ser um pouco mais complicado. Vários fatores podem envolver e influenciar como será essa ligação entre mãe e madrasta. Como foi a separação do primeiro relacionamento, ou como é o relacionamento entre a mãe e o pai da criança e até mesmo se conseguem ter uma relação de respeito mesmo após o divórcio.

Também influencia se a mãe é bem resolvida em questão a nova relação do ex e como vai encarar toda essa situação. Inicialmente é obvio que bate uma insegurança, por não conhecer a madrasta e nem nada sobre sua vida, principalmente como será a conduta em relação aos filhos de uma relação anterior.

O ideal para que traga segurança e conforto nessa relação é conhecer a nova esposa do papai. Conversar, explicar os costumes do filho e quem sabe até criar uma ligação para facilitar essa relação entre madrasta e enteado.

Se a intenção é ter paz e proporcionar uma vida saudável e tranquila para seus filhos, evite provocações, comparações e muito menos alfinetadas. Se ambas tiverem jogo de cintura e respeito acima de tudo, quem sairá ganhando sem sombra de dúvidas é a criança, que terá a casa da mãe e do pai com total harmonia.

Veja Também: Aborto Paterno Também Existe
Foto: ArtWithTammy