Ter um filho é uma das dádivas mais lindas de um ser humano. O primeiro momento em que se encara aquele pequeno ser que foi gerado por você, provoca uma sensação única e indescritível. E apesar de ser um momento de extrema alegria, também é um momento delicado onde diversos problemas podem acontecer, principalmente se o bebê estiver propenso a nascer com alguma doença, se for prematuro ou se o parto teve alguma intercorrência.

Todas mulheres estão sujeitas a passar por essa dificuldade e ter que encarar esse momento tão difícil. Ser mãe de UTI é deixar seu coração batendo fora do corpo aos cuidados de terceiros, em alguns casos, ter que ir embora e se despedir, mesmo querendo ficar. É deixar todas suas expectativas e planos na torcida do pesadelo acabar logo.

Mas existem algumas coisas a se fazer para que esse período de internação do seu bebê não seja um completo pesadelo. Vamos falar hoje sobre como lidar com essa situação e com os sentimentos que, inevitavelmente, surgem nesse período.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes (Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Conhecer FamiGel!

Como lidar com o Choque?

A primeira coisa que se tem que ter em mente é que essa é uma realidade. Aceitar a condição em que seu bebê se encontra é fundamental para que você possa manter a calma e lidar com o choque de ser mãe de UTI.

É claro que isso não vai ser algo fácil, vai demandar tempo e vão existir muitos momentos de verdadeiro desespero, principalmente quando há demora para melhorar o quadro clínico do bebê ou até mesmo quando ocorre uma piora.

Deve-se ter em mente que um bebê recém-nascido é extremamente frágil e, se ele nasceu com algum problema que o levou para a UTI, essa fragilidade é maior ainda. Isso significa que seu quadro clínico provavelmente vai ser instável, ou seja, existirão dias de melhora e de piora ou dias em que o médico simplesmente não vai saber te responder sobre quando ele poderá ser liberado.

Esse momento de racionalização é importante para lidar com o choque e iniciar essa jornada junto com o seu bebê na UTI. Assim como o estado do bebê, esses dias serão instáveis. Alguns serão melhores, com mais esperança e outros podem ser até devastadores. Manter os pés no chão e a cabeça no lugar é importante, pois o bebê ainda vai precisar muito de você.

Tire Todas as Suas Dúvidas com o Médico

Outra coisa importante que deve ser feita e que ajuda a lidar com essa situação é tirar todas s dúvidas possíveis com o médico pediatra da UTI. Ele é o responsável por fazer a ligação entre o seu bebê e você. É ele quem vai te ajudar e te dar as notícias boas ou ruins que precisam ser dadas.

É muito importante que você pergunte tudo o que achar necessário, até se as perguntas parecem bobas, pois isso vai te acalmar e te colocar dentro da realidade do bebê. Nada pior do que acompanhar um momento tão angustiante sem saber exatamente o que está acontecendo. Todas essas dúvidas podem ser tiradas com o tempo, à medida que forem surgindo, não tenha pressa!

Uma dica importante que podemos dar é: Não culpe o médico quando há pioras. Ele estará lá para te ajudar e para te informar sobre tudo o que acontece com o seu bebê. Dificilmente algo será realmente culpa dele e descontar sua frustração ou seu desespero em alguém que está te ajudando não melhora em nada a situação, então mantenha o controle sempre!

Como Driblar a Separação Temporária Entre Mãe e Bebê

Além do medo do estado de saúde do bebê, uma das principais dores de uma mãe de UTI é com certeza a separação que ela tem de seu filho. Um bebê precisa do toque, do afeto da mãe nos primeiros dias, principalmente para sua recuperação e também para se sentir mais seguro aqui do lado de fora.

Esse elo entre mãe e filho é essencial para desenvolver laços eternos de amor e carinho, que serão construídos e cativados ao longo da vida. Por isso daremos aqui algumas dicas para você aprender como driblar a separação temporária e lidar mais positivamente com essa situação.

Conte Com a Ajuda de Pessoas Próximas

Lidar com esse tipo de choque definitivamente não é algo que se pode fazer sozinha e sem ajuda, por isso contar com seus amigos, familiares e seu parceiro é sempre muito importante nesse momento.

O auxílio dos outros é confortante. Ver que as pessoas compartilham dos seus sentimentos faz com que um dê forças ao outro e isso ajudará a todos a passar por essa situação sem nenhum desespero. Por isso não despreze a ajuda quando ela aparecer, pelo contrário, aceite todo tipo de demonstração de apoio e carinho que receber, você vai perceber como isso é importante.

Tente Manter a Calma

Por mais difícil que possa parecer esse momento, manter a calma é essencial. Pense que o seu bebê precisa muito de você e agora é necessário que você mantenha a calma para que quando ele tenha alta você não esteja totalmente desgastada mentalmente. Obviamente isso não é algo fácil nem simples de ser feito, porém é extremamente necessário.

Visite o seu bebê todos os dias, acompanhe o máximo que puder cada cuidado, veja e questione sobre seus tratamentos, converse com ele e o toque sempre que for possível. Pode parecer um pouco estranho, lidar com toda essa situação, máquinas ligadas e incubadora junto, mas ele precisa sentir que você sempre estará em contato com ele de alguma forma. Converse com seu bebê e sempre o acalme, será importante tanto para ele como para você.

Mantenha o Pensamento Positivo

Uma das principais dicas para driblar essa separação temporária e ter certeza disso: Ela é apenas temporária. Com o tempo você terá o seu bebê em seus braços, para cuidar, alimentar e vê-lo crescer feliz e saudável.

É claro que quando seu estado de saúde é frágil, existem pontos negativos, mas não se deve pensar neles. Primeiramente porque não ajuda em nada pensar que o bebê pode ter algum problema pior ou que ele precisará ficar mais tempo internado, isso apenas a deixará para baixo e criará medos e maiores inseguranças em você. Mantenha o pensamento positivo, porque é ele que te dará forças para enfrentar essa situação.

bebe na incubadora

Cuide Também da Sua Saúde

Durante toda essa correria, preocupações, tristeza, a saúde da mulher é deixada de lado e não podemos deixar de lembrar que a mulher acabou de dar à luz e precisa de cuidados. Com tanta preocupação é difícil mesmo pensar em repouso, mas é necessária cautela.

Para que você esteja pronta, bem e saudável para receber seu bebê quando for a hora da alta, são necessários cuidados. Isso quer dizer que você deve se alimentar bem, manter-se em um estado emocional controlado e não deixar que a situação te abale e sempre que possível descanse.

Não cuidar da sua saúde nesse momento só agravará ainda mais a situação, já que depois o bebê vai precisar de você para se alimentar e para cuidar dele. Pense nisso!

Ser mãe de UTI definitivamente não é uma tarefa fácil e exige muito de sua condição psicológica. Algo que pode ser preocupante, uma vez que você acabou de sair de uma gravidez.

De qualquer forma, é necessário ter forças para lutar ao lado do seu bebê e, no momento certo, finalmente o levar para casa. E essa sensação também é indescritível, inacreditável. São diversas as emoções que envolvem o processo de gravidez até o parto e ter um bebê na UTI não só faz com que muitas dessas emoções sejam afloradas, mas também ensina lições valiosas sobre amor, esperança e paciência, já que todas as mães de UTI precisam muito dessas três coisas para superar essa fase.

Veja Também: Bebês Prematuros – Cuidados e Atenção Especial
Foto: Calleamanecer