A gravidez quando é muito sonhada, imaginamos tudo acontecendo naturalmente, o positivo, o decorrer e também o nascimento. Temos uma visão romântica, por que não dizer até mesmo poética da maternidade e principalmente do momento do parto. Porém quando a gestação já é uma realidade concreta e presente na vida da mulher, o medo do parto pode aparecer para estragar esse momento tão lindo.

O medo do parto pode vir acompanhado de muita insegurança, pesadelos e até mesmo crises de pânico e ansiedades em casos mais profundos. O motivo? Medo do que possa acontecer de errado na hora do parto. Medo de sentir dores, medo de não conseguir ter o parto que deseja, o medo de acontecer alguma coisa com o bebê, medo de morrer… O medo do desconhecido consegue ter o poder de assustar a mulher.

Mesmo sabendo o que poderá acontecer (ter uma ideia pelo menos do procedimento), o medo ainda existe, para mamães de segunda viagem o medo do parto é menor do que a primeira vez, mas ainda sim estará presente. Apesar de saber que o momento é de alegria e felicidade por trazer um amor maior à vida de uma pessoa, temer os contratempos é normal. Porém se o medo do parto estiver incomodando a ponto de trazer pensamentos apenas sobre acontecimentos ruins, a gestante pode ter um grande problema em suas mãos. Digamos que o medo é normal, mas o aquele que te impede de fazer as coisas normais do dia a dia, não é saudável. Um estudo recente mostrou que mulheres com medo exagerado do parto podem desenvolver depressão pós parto, por isso o quanto antes ela tratar esse transtorno de medo melhor.

Mas como evitar que esse medo tome conta de não deixe aproveitar o momento? Será que existe algum segredo para aproveitar a gravidez sem que a insegurança de que alguma coisa ruim vá acontecer atrapalhe o andamento da gestação e até mesmo no dia do parto?

Como Lidar Com o Medo do Parto?

A maior arma que uma pessoa pode ter contra algum tipo de medo de uma nova situação é o conhecimento. Por isso, falar sobre os seus medos com o médico é muito importante. Ver como será realizado os procedimentos, tanto para parto normal como para partos cesáreas ou qualquer outro tipo de procedimento feito antes ou depois do nascimento. Tirar as duvida sobre a anestesia, conversar sobre o que poderá ou não sentir e também sobre os acontecimentos pós-parto, irão deixa-la mais segura e certamente reduzira o medo do parto.

Lembro que quando eu era jovem e não sabia nada sobre parto, não me via em um parto com dificuldades, mas o receio existia. Medo o que poderia passar, de como seria, se iria dar conta… Apesar de o parto ter sido bom, não sentia dores e foi bastante tranquilo durante o procedimento, na segunda vez, realmente confesso que o medo tomou conta de mim. Mesmo sabendo o que estaria por vir, de certa forma me preocupava com medo de várias coisas:

Medo de morrer: como havia tido parto cesariana, senti alguns incômodos normais da anestesia. Esses que me fizeram pensar duas vezes em ter outro parto como o primeiro, apesar de ter sido bom. A falta de ar que senti após a aplicação da anestesia não saia da minha cabeça. O trauma do nascimento antecipado da minha primeira filha também me rondava. Medo de acontecer novamente a bolsa rota e o parto ser as pressas como antes.

Medo dos cortes: Me sentia capaz de ser mãe, porém o medo do parto me trazia também outro incomodo, medo de não dar conta na hora H. O nascimento em si é muito lindo, mas para quem faz procedimentos invasivos como cesariana, sente sim um medo adicional. Final, são 7 camadas de corte. Será que a recuperação seria boa? Será que teria algum tipo de alergia ou problema com medicação? Enfim, eram tantas coisas a pensar…

Como resolvi esses medos? Exatamente conversando com um medico que me encaminhou para uma psicóloga. Esse período foi bastante intenso na minha vida, confesso que sentia frágil e vulnerável aos acontecimentos futuros e se não tivesse tido ajuda profissional, não teria conseguido chegar ao momento do parto com a tranquilidade que tive. Expor meus medos para o médico, para a psicóloga me fez muito bem. Eles me fizeram enxergar que o medo é normal do ser humano, porém em tudo que vamos realizar, passar não podemos nos deixar entregar à ele. Aprendi que o medo é um fator importante na vida de uma pessoa, mas não devemos deixar com que ele seja um elemento limitador. Viver a vida com medo, viver o momento da gestação com medo, faz tirar toda a beleza! Lembre-se que você esta gerando uma nova vida, e que o bebê sente tudo que estamos sentindo. Passar segurança para ele e para todos ao redor é muito importante.

Ouvir o que os outros tem a dizer também é importante, porém temos que filtrar o que é ou não bom para nós. Sempre tem aquela tia distante que vem falar que vizinha da amiga da tia da comadre dela que morreu no parto, ou que fulana de tal teve problemas no parto normal, ou que teve que abrir novamente a cirurgia por alguma infecção. Coisas ruins podem acontecer, mas temos que concentrar as energias nas melhores possíveis e deletar esses comentários. Devemos saber que tudo que outras pessoas passam é por fatalidade e que cada caso é um.

Precisei passar sentir na pele para poder ter um pouco de ajuda e ficar mais feliz no momento mais incrível da minha vida. Recomendo que exponha ao seu medico o que está te incomodando, converse com pessoas bacanas sobre o parto delas, leia relatos em sites legais como o Trocando Fraldas rs. Certamente isso te trará maior tranquilidade para enfrentar o medo do parto. Lembre-se que todos somos feitos de carne e osso e um medinho é natural. Apenas não o deixe tomar conta da sua vida, se sentir que está atrapalhando, peça ajuda, não é vergonha alguma.

Veja também: Relato de Ansiedade na Gravidez – Tempo Que Parece Não Passar

Foto: Corelinn