Mesmo com diversos avanços na tecnologia e na medicina, muitas doenças ainda existem em nossa sociedade e podem causar consequências muito ruins para nós. Apesar de já termos visto muitos avanços no combate delas, ainda corrermos o risco de desenvolvermos ou nos infectarmos com algumas, o que pode ser muito perigoso. Esse é o caso da meningite bacteriana, por exemplo.

O que é meningite Bacteriana?

A meningite bacteriana é a forma de meningite mais comum, com média de 200 mil a 1 milhão de casos por ano no mundo inteiro. A meningite é uma doença que causa uma inflamação na meninge, membrana que reveste o cérebro e a medula espinhal.

Bactérias Responsáveis

Essa inflamação pode gerar diversos efeitos colaterais negativos e irreversíveis. Além da bacteriana, também existem as meningites causadas por fungos ou vírus. As bactérias responsáveis por causar a meningite bacteriana são:

  • Neisseria meningitidis
  • Streptococcus pneumoniae
  • Haemophilus influenzae
  • Mycobacterium tuberculosis

Apesar de ser uma doença muito cruel, a meningite bacteriana pode ser prevenida e há chances de seus efeitos serem menos nocivos quando o tratamento é feito de maneira correta. Por isso, é recomendável que se tome todas as providências de prevenção da doença.

Como Prevenir a Meningite Bacteriana

A prevenção da doença é feita basicamente através de vacinas que impedem que alguns tipos de bactérias ataquem o seu organismo. São elas:

  • Meningococcus
  • Pneumococcus
  • Haemophilus influenzae

Apesar de serem extremamente eficazes e agirem contra os principais tipos de bactérias que causam a meningite bacteriana, a pessoa que tomar as vacinas ainda não está totalmente livre de contrair a doença, já que existem outros tipos mais raros de bactérias, além de vírus e fungos que também causam a meningite. Ainda assim, tomar a vacina é de extrema importância, já que reduz drasticamente suas chances de contrair a doença.

Hábitos

Além das vacinas, alguns hábitos como lavar as mãos antes de comer e não compartilhar talheres, copos ou batons com pessoas que possuem ou já possuíram bactérias da meningite também são formas eficazes de prevenção.

Principais Causas da Meningite Bacteriana (H3)

As principais causas da doença são justamente a contração das bactérias já citadas aqui. É importante lembrar que a meningite bacteriana é uma doença que tem o contágio através de gotículas de saliva, principalmente, que entram pela boca ou nariz.

Isso significa que o contato com pessoas que possuem o vírus coloca alguém em risco. Também existem os casos dos chamados portadores assintomáticos, pessoas que possuem bactérias da meningite, mas não apresentam sintomas.

Apesar dessas pessoas não terem problemas com a doença, elas podem transmitir as bactérias para outras, por isso é sempre importante fazer exames se você ou seu filho esteve em contato com alguém que possui alguma dessas bactérias.

Sintomas da Meningite Bacteriana

Os sintomas da meningite bacteriana costumam se manifestar muito rápido, normalmente no primeiro dia em que a bactéria chega ao corpo e podem piorar ao longo do tempo. Os principais sintomas são:

  • Febre Alta
  • Náuseas e Vômito
  • Falta de Apetite
  • Cansaço
  • Fortes Dores de Cabeça
  • Pescoço Rígido
  • Desmaios e Convulsões
  • Fotofobia (Alta sensibilidade à luz)
  • Manchas Vermelhas e Roxas pela Pele

Esses sintomas combinados indicam meningite e é extremamente importante que a pessoa vá ao médico assim que começar a senti-los, para que o tratamento comece o mais rápido possível e que as sequelas da doença não sejam tão graves.

Diagnóstico da Meningite Bacteriana

O diagnóstico da doença é feito principalmente através de uma técnica chamada punção lombar, que consiste basicamente na coleta do líquido cefalorraquidiano da medula espinhal, feito com a utilização de uma agulha.

Através dessa técnica, é possível saber se há ou não meningite, além de também ser possível identificar a causa da doença. Além disso, o paciente também é submetido a diversos exames de sangue e à tomografia para um diagnóstico ainda mais preciso.

Tratamento da Meningite Bacteriana

O tratamento da doença é feito através de antibióticos e deve ser feito o mais rápido possível, para que as inflamações não piorem e causem consequências mais sérias. Através do diagnóstico é feita a identificação do tipo de bactéria que causou a meningite, o que ajuda os médicos a receitarem o antibiótico necessário e mais eficaz para cada situação.

Também são receitados remédios para aliviar os sintomas de febre, vômitos e dores de cabeça, principalmente. Houveram avanços significativos nos tratamentos da meningite nas últimas décadas, principalmente se levarmos em conta que, no começo do século passado, ela era uma doença com taxa de mortalidade muito próxima a 100% e que praticamente não existiam casos de pessoas que se curaram sem nenhuma sequela.

Consequências da Meningite Bacteriana

O grande perigo da meningite sem dúvida são as sequelas que a doença pode deixar nas pessoas. Para que casos mais graves não aconteçam a doença deve ser tratada da forma mais rápida possível e seguir todas as orientações médicas à risca, para que nenhuma das sequelas atrapalhe sua vida. As principais consequências da meningite bacteriana são:

  • Edema Intracerebral
  • Paralisia Cerebral
  • Convulsões
  • Diminuição da Capacidade Intelectual
  • Surdez
  • Paralisia Motora

Por se tratar de uma doença que atinge diretamente o cérebro, ela pode causar danos permanentes que comprometem a vida do paciente de forma drástica. Por essa razão é tão importante visitar um médico o quanto antes e saber se prevenir de todas as formas contra as bactérias que causam meningite.

A meningite bacteriana é uma doença que pode ter consequências graves, mas que também pode ser quase totalmente evitada, se os cuidados certos forem tomados. Por isso, a prevenção contra esse tipo de doença é tão importante.

Mas se caso alguma pessoa contraia a meningite bacteriana por alguma razão, é de extrema importância que procure um médico o mais rápido possível para que o tratamento seja feito da maneira correta e para que a pessoa não fique com nenhuma sequela grave.

Veja Também: Vacinas na Gravidez- Quais as Principais a Tomar
Foto: gentle07