Fernanda teve que enfrentar um parto prematuro porém apesar de todas as dificuldades o amor que ela sente pela sua filha fez com que todos os problemas fossem mais fáceis de superar. Acompanhem…

Eu sempre quis ter um filho, e assim que parei de tomar o anticoncepcional logo engravidei. Que sensação maravilhosa em saber que um ser é gerado em você, mas ai vem as incertezas, os medos. Como vai ser o parto, será que vou saber amamentar, cuidar? Meu Deus, quanta preocupação!

Minha gestação ocorreu normal, tive enjoos e desejos, engordei, tudo ia muito bem até chegar aos 8 meses. No dia 8 de julho de 2010, minha bolsa rompeu e tive que ir as pressas para o hospital de uma cidade vizinha a minha. Quanto medo eu senti em saber que minha menina ia ser prematura, quanta coisa me passou pela cabeça…

Minha filha nasceu com 2.270 Kg e precisou ter a ajuda de aparelho para respirar, ficou na UTI neo natal no berço aquecido, se alimentava por sonda. Mas todos os dias eu estava lá do seu lado dizendo baixinho em seu ouvido “mamãe está aqui, eu te amo muito, tenha força de vontade que você é uma guerreira!”. No dia 12, ela já não se alimentava com a sonda e respirava sozinha. Achei que ela teria alta, mas não, daí veio a icterícia e então ela teria que ficar no banho de luz.

Meu Deus, que tristeza vê-la, com os olhos vendados, sem poder ao menos toca-la, só podia tira-la para mamar e mais nada. Como eu queria dar o banho, troca-la, mas não podia. Aquilo me cortava por dentro, via as outras mãe com seus filhos nos braços e eu só podia olhar. Mas graças a Deus sempre estive do lado dela incentivando-a, conversando com ela e hoje ela já tem 3 anos de idade de muita saúde. O conselho que deixo as futuras mamães, que se seu filho nascer prematuro, não tenha medo, fique sempre ao lado dele e lhe dê todo o amor possível, pois ele sim é o remédio para todos os males.

Fernanda Camargo

Veja também:Relato de Parto Regiane – O Parto dos Sonhos

Foto: Eder Fortunato