Muitas mulheres querem engravidar e acabam deixando para mais tarde. Porém, existem técnicas e métodos para que se descubram se a fertilidade está ok ou se há algum problema. Esses exames são essenciais, porém há um, porém com estes, eles podem ser interpretados de forma errada e levar ao erro o diagnóstico da quantidade de reserva ovariana.

Para se preservar de possíveis problemas, os médicos indicam o congelamento dos óvulos em mulheres com baixa reserva ovariana. Os exames de FSH podem indicar que esta mulher tenha uma baixa reserva ovariana indicando um procedimento de congelamento dos óvulos. Porém o exame também pode levar ao erro. O procedimento deve ser feito no momento em que a mulher puder congelar de 15 a 20 óvulos. Algumas vezes esse número também não será suficiente se a reserva ovariana for de baixa qualidade. Por isso, o ideal é fazer a estimulação dos óvulos e o recolhimento em alguns ciclos alternados.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel solve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Conhecer FamiGel!

Samantha Margolis, uma americana residente em Washington, teve de fazer a indução para guardar seus óvulos. Sua família tem um histórico precoce de menopausa, e ela aos 36 anos teme não poder ter filhos por entrar igualmente precocemente na menopausa. A mãe de Samantha iniciou a fase do climatério com 40 anos e sua avó materna com 38 anos. Agora Samantha se prepara com injeções de hormônios para induzir a ovulação. Essa medicação é injetada abaixo do umbigo em por si mesma em sua casa durante 10 dias.

Em um ciclo normal, apenas um óvulo pode ser liberado pelo corpo, com esse procedimento indutor, muitos mais são estimulados e amadurecidos. Pode chegar à cerca de 20 óvulos em mulheres saudáveis! Ao final de 10 dias, Samantha tinha um procedimento para aspiração dos óvulos no Grove Fertility Center. A ideia do congelamento é assegurar que mulheres mesmo acima de 40 anos possam ser mães. O pico fértil da mulher tem seu ápice aos 20 e poucos anos e tende a cair ao longo dos anos. Aos 35 anos, essa mulher saudável, teria apenas 22% de chances de engravidar em cada ciclo ovulatório, aos 40 anos terá apenas 8%!

O exame de reserva ovariana está na lista de diversos laboratórios, o médico ginecologista ou especialista em fertilidade, deve analisar a possibilidade de ser uma boa candidata ao procedimento. Além dos exames hormonais, existe a ultrassonografia que avaliará através de imagens a sua reserva ovariana. Com essas informações conjuntas, os médicos conseguirão avaliar a quantidade de óvulos liberados por ciclo e também a qualidade deles. Assim, indicará ou não o procedimento de congelamento. No caso de Samantha, o médico pediu que ela fizesse o congelamento o quanto antes. Ela gastou cerca de 22 mil dólares em um procedimento que rendeu apenas 8 óvulos a serem congelados. Esses óvulos podem ser utilizados em procedimento de inseminação artificial ou fertilização in vitro.

Samantha também diz que se soubesse que esses exames existissem, teria feito o procedimento há muito mais tempo. Assim teria muito mais óvulos a serem congelados para serem utilizados futuramente. O Dr Benjamin Líder pesquisador de fertilidade e CEO da ReproSource, diz que a capacidade dos exames para determinar a quantidade de óvulos é realmente um dos melhores diagnósticos que existem e é incrível poder utilizar essa técnica para prevenir frustração para a mulher. A Dra Samantha Pfeifer, Weill Cornell Medical College e presidente do comitê americano de reprodução assistida, alerta para a confiabilidade dos testes. “Esses devem ser avaliados com critério pelos médicos especialistas, para que eles possam indicar o momento correto para congelamento dos óvulos e não perder o tempo da fertilidade.”

As mulheres nascem com cerca de 1 a 2 milhões de óvulos no total, porém apenas 1 desses é realmente amadurecido durante o ciclo fértil da mulher. Os demais óvulos vão morrendo lentamente ao não serem estimulados da forma correta. Após os 25 anos há uma desaceleração da fertilidade e atinge seu ápice aos 35 anos, com declínio constante até aos 40 anos de idade.

O teste de reserva ovariana não serve apenas para mulheres que querem congelar seus óvulos, mas sim para todas as mulheres que desejam engravidar. Exames como FSH, LH e outros, podem determinar se sua reserva ovariana está a contento ou se ela terá que optar por antecipar a gravidez ou congelar seus óvulos. Mulheres que querem fazer fertilização usam o mesmo procedimento que mulheres que querem congelar seus óvulos, a diferença é que os óvulos na FIV são usados imediatamente enquanto os demais casos os manterão congelados até o momento desejado.

O procedimento total de estimulação pode chegar á 30 mil dólares ou cerca de R$120 reais . Para tanto, a mulher deve verificar um bom laboratório para fazer seus exames de reserva ovariana e também ter certeza do diagnostico. Devemos lembrar que a taxa de sucesso para gravidez com óvulos congelados é menor que para óvulos frescos e que também que os testes podem ser perigosos de outras formas, segundo o psicólogo especialista em fertilidade Joann Galst. “Mulheres com problemas de fertilidade, podem ter surpresas nestes procedimentos e devem estar preparadas para tudo que possa vir a acontecer, inclusive problemas inesperados.”

Veja também: Exames Para Engravidar

Fotos: Avital Pinnick, lentedorafa

Fonte: NPR