Um avanço em uma pesquisa realizada na Universidade de Adelaide feita por cientistas australianos pode vir a ajudar milhares de mulheres que estão na tentativa de engravidar. A equipe de cientistas do Instituto de Pesquisas Robinson que é acompanhado pelo Dr. Hannah Brown aponta a importância da hemoglobina na fertilidade de um óvulo.

Foi descoberto que a hemoglobina esta presente nos bons óvulos e não foram encontrados nos considerados ruins.  “A hemoglobina dentro dos óvulos os torna mais eficientes e altera a quantidade a ser usado, além de sua qualidade”, informa o Dr. Brown. Na Austrália, os testes são proibidos em seres humanos por isso a equipe realiza todas suas pesquisas com a ajuda de ratos de laboratório. “Quando introduzido à hemoglobina em óvulos não tão bons e depois realizada a fertilização in vitro, foi observada a formação de embriões saudáveis”, disse Dr. Brown.

“Nós conseguimos melhorar a qualidade dos óvulos”.

Na Bélgica já foram iniciados os testes em seres humanos onde é liberado as mulheres doarem óvulos para testes científicos. O próximo e importante passo para a equipe da Universidade de Adelaide é a realização de testes em animais maiores como vacas e porcos, onde será possível testar a segurança ética e observar problemas com os filhos gerados dessa forma.

Os cientistas esperam que as pesquisas se concluam em 5 anos, se tornando um tratamento disponível ao público. Sabe-se que a partir dos 32 anos, a fertilidade das mulheres tende a diminuir e entre os 37 e 42 caem ainda mais as chances. O tratamento visa ajudar essas mulheres dando maiores chances de conseguir engravidar. Dr. Brown foi premiado no ano de 2015 pelo Women’s and Children’s Hospital Foundation  pelo reconhecimento e excelência em suas pesquisas cientificas.

Veja também: Pílula da Fertilidade é a Novidade do Momento nos Estados Unidos

Foto: anapcal