A falta de lubrificação íntima, pode ser uma das causas de queixas femininas para a dispareunia. A dispareunia nada mais é do que desconforto, ou dor na relação sexual por diversos motivos e pode acometer tanto a mulher quando o homem, porém a mulher sofre muito mais com este problema.

Nestas situações, a vagina pode ficar extremamente seca, e a relação sexual se tornar um tormento! A mulher passar a evitar seu companheiro por medo da dor na relação.

Faixa Etária Atingida

A dispareunia pode afetar mulheres em idade fértil, de 20 a 45 anos por diversos motivos e um deles é a baixa de estrogênio e algumas vezes, a testosterona. O estrogênio é o principal hormônio responsável pela lubrificação natural feminina.

Mas a questão abrange principalmente mulheres que passam pela menopausa ou mesmo ainda, durante a fase do climatério (pré menopausa), exatamente pela queda brusca do estrogênio.

Após certa idade, as quantidades hormonais do aparelho reprodutivo começam a baixar, isso causa um afinamento do colo uterino, o que traria muitas dores também na relação sexual. Porém, a dispareunia é um problema muito grave para casais que queiram engravidar.

As dores durante a relação sexual, pode atrapalhar os planos. Além da dor na relação, há problemas de ardência após a relação, dor no pé da barriga após a relação e outros sintomas desagradáveis. Além disso, a falta de apetite sexual, vai tornar a vida sexual do casal tensa pelo baixo libido da mulher.

Grávida após 3 anos!
"Após 3 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." Lidyane, grávida de 3 meses
Saiba mais!

Causas e Sintomas da Dispareunia

Cistite ou Infecção Urinária

Mulheres com infecção urinária recorrentes ou mesmo em casos isolados podem sentir dor no pé da barriga após a relação. Isso porque a bexiga é um órgão muito próximo ao útero que é “cutucado” durante a relação sexual. O tratamento para a cistite tende a acabar com a dor durante a relação.

Vulvovaginites

A candidíase e outros fungos, causam sintomas desconfortáveis para a mulher, coceira e ardência após relação são sintomas bastante comuns. O tratamento para este problema é simples, porém devem ser receitados por um médico ginecologista. Normalmente são pomadas ou anti fungicos como metronidazol por exemplo.

Fissuras

A fissura na vagina é uma das principais queixas de dor durante a relação sexual. O atrito durante o ato sexual, vai tornar doloroso principalmente se não houver lubrificação adequada e pode até mesmo piorar as fissuras.

Essas fissuras podem ser causadoras de algumas infecções e agravar o quadro do problema. Essas infecções podem atrapalhar casais em idade fértil a engravidar por isso, o ideal é cuidar das fissuras segundo orientação médica e também usar um gel adequado para ajudar na lubrificação vaginal na relação sexual e mesmo no dia a dia, para ajudar nos movimentos diários e na prática de exercícios.

Endometriose

A endometriose é nada mais que parte de endométrio (sangue menstrual) coagulado, fora do útero. Esse episódio causará dores intensas durante a penetração da relação sexual, mas também durante o período menstrual.

É comum também que mulheres com endometriose tenham problemas de fertilidade, mulheres com endometriose, tem o problema oposto à baixa de estrogênio, o excesso deste hormônio, fará com que ela tenha uma produção menstrual anormal que causará as dores durante a relação devido ao sangue acumulado fora do útero.

O tratamento para a endometriose é medicamentoso, o médico pode optar por suspender a menstruação da mulher com medicamentos, e até mesmo, em casos mais extremos, retirar cirurgicamente os coágulos acumulados fora do útero. Esses tratamentos facilitariam a gravidez natural acontecer.

Infecções

A infecção uterina ou das trompas e ovários, podem causar dores, esse é o principal sintoma desse problema. Isso porque a infecção por si só trará sensibilidade extrema para a mulher, ainda mais caso ela tenha relações sexuais nesse período.

O diagnóstico de infecções é feito através de exames como papanicolau, citologia oncótica e ressonância magnética, e em casos mais graves uma biópsia. O tratamento será feito através de pomadas e algumas vezes, com antibióticos específicos para o tipo de bactérias que estão causando a infecção.

Baixa Lubrificação Vaginal

O muco cervical natural da mulher, ajuda a relação ser prazerosa para ela e para o companheiro. Os estímulos que ela sofre nas preliminares da relação sexual, vão fazer com que a vagina fique molhada, inchada e apta a receber a penetração.

Porém, há mulheres que por baixa hormonal ou por alguns outros motivos, não tem essa lubrificação em quantidade suficiente ou mesmo NÃO tem essa lubrificação deixando a vagina muito seca e sem o inchaço que facilita a penetração e o orgasmo feminino.

Essa baixa hormonal pode acontecer em qualquer momento da vida reprodutiva por diversos motivos, mas principalmente em mulheres que tem alguma propensão a não menstruarem adequadamente por falta de estímulos dos hormônios da fertilidade:

  • FSH
  • Progesterona
  • Estrógenos

A baixa desses hormônios vai tirar o apetite sexual da parceira e causar a baixa lubrificação e, consequentemente, causar dor durante a relação. Existem alguns artifícios para burlar problemas com a baixa lubrificação para a relação sexual.

Como Driblar a Falta de Lubrificação

Mudar a posição sexual: o casal deve procurar uma posição mais confortável para a mulher durante a relação sexual. Normalmente aquela em que a mulher fique mais a vontade ou consiga controlar a velocidade da penetração e a intensidade.

Exercícios de elasticidade da vagina: pompoarismo (exercícios da musculatura vaginal) é uma técnica que ajuda na elasticidade da vagina da mulher. Existem diversos exercícios, mas entre eles, inserção de bolinhas de pompoar.
O trabalho feito com as bolinhas, ao longo do tempo fortalece a musculatura além de dar possibilidade da mulher controlar a elasticidade vaginal durante a relação afim de evitar dor na relação sexual.

Uso de Lubrificantes Adequados

o uso de lubrificantes semelhantes à lubrificação vaginal natural da mulher, irá amenizar as dores e a secura vaginal. Antes da relação sexual ou mesmo no dia a dia, irá trazer maior conforto à mulher. Para a relação sexual, o lubrificante intimo trás conforto e também reduz o atrito da penetração, consequentemente dor no pé da barriga após a relação.

Lubrificante Para Engravidar

60% dos casais que querem engravidar e tem algum problema com dispareunia, tem dificuldades com a lubrificação da mulher. Isso porque a mulher que deseja engravidar pode ficar tensa e ansiosa para a relação sexual resultar em gravidez, e por isso deixar de ter a lubrificação ideal e as condições para que os espermatozóides sobrevivam até chegar às trompas e, consequentemente sentir dor na relação.

Mulheres com deficiência da produção do muco cervical ou muco clara de ovo durante o período fértil, se beneficiam muito dos lubrificantes amigos da fertilidade e evitam ardência após a relação. Os lubrificantes específicos para casais que querem engravidar, devem ser usados 5 minutos antes da penetração. Ele permite que os espermatozóides tenham maior vitalidade e mobilidade dentro do corpo da mulher, facilitando a fecundação.

Veja também: Dor na Vagina – Principais Causas e Tratamento
Foto: pxhere