Muito se fala sobre o vínculo da mãe com o bebê desde os primeiros minutos do nascimento não é? Hoje falaremos de um fenômeno descoberto pela neurociência chamado imprinting: o amor à primeira vista. Percebido primeiramente nos animais através de estudos do cientista austríaco naturalista Konrad Lorenz sobre o processo pelo qual um animal recém-nascido reconhece sua mãe, este fenômeno é ainda mais lindo nos seres humanos. Minutos após o nascimento, quando expostos visualmente para as mães, o bebê já demonstra sua preferência pelo rosto dela e, certamente, esta preferência fica ainda mais forte devido aos laços adquiridos na vida uterina.o que é imprinting amor a primeira vista  (2)

O imprinting comprova o quanto é importante os primeiros momentos da mãe com o bebê. Alguns estudiosos chamam estes primeiros minutos de período crítico – onde o bebê desenvolve determinado apego à mãe. Outro estudioso no desenvolvimento infantil que descreve bem este contato foi John Bowlby, psicólogo inglês que criou a teoria do apego. Nesta teoria, ele afirma que a relação entre o bebê e a mãe não se desenvolve apenas pela alimentação, mas principalmente pelo sentimento de segurança. É o que diz Frederick Leboyer! O bebê é alimentado com leite, mas precisa de carinho para viver. O amor também é alimento! O leite alimenta o corpo e o carinho a alma.

Além da amamentação na primeira hora tão importante para a saúde do bebê, cada vez mais percebemos o quanto é primordial o toque, o calor do corpo, o cheiro e o olhar da mãe para o desenvolvimento da criança especialmente nos primeiros anos de vida – época da formação e estruturação da personalidade e comportamento infantil. Este contato é bom tanto para o bebê, quanto para a mãe. O cheiro da cria faz com que a mãe libere ocitocina, que faz com que sinta prazer e repasse este prazer em forma de amor ao bebê! O imprinting nos seres humanos é o olhar fixo do recém-nascido para os olhos da sua mãe. Um vínculo sólido começa a ser construído a partir da concepção e caminha rapidamente para um comportamento de grande apego. Bowlby cita 5 critérios deste comportamento: mamar, chorar, olhar, sorrir e agarrar a mãe. Desde bebês, conseguimos observar estas atitudes nos recém-nascidos e podemos perceber que são atitudes para ficar perto da mãe, buscar por ela.

A relação mãe e filho sempre foi inexplicável e acredito que mesmo que a ciência tente nos ajudar a descobrir os motivos deste amor tão enigmático, só o coração de mãe consegue entender. Seja por causa do imprinting, do apego ou de qualquer outra explicação, por eles somos capazes de tudo. Nos modificamos, melhoramos, choramos, mudamos toda nossa vida e, mesmo assim, tudo é recompensado pelo sorriso de um filho.

Texto acima por Michele Melão do Maternitycoach.com.br

Imprinting, a minha primeira vez!

o que é imprinting amor a primeira vista  (1)Me lembro tão bem da primeira vez que vi meus filhos… acho que para todas as mulheres esse primeiro contato com o bebê é muito forte. Após esperar longos 9 meses pelo nascimento, quando finalmente nos vemos sem nenhuma telinha para intermediar esse encontro  é tão verdadeiro, tão intenso que marca essa fase. Com a Joana foi curto o tempo que a vi, foi tudo muito rápido mas o amor foi tão intenso quanto as outras vezes. Me apaixonei intensamente por aqueles olhos castanhos já na primeira vez que a vi. Com Dudu foi tão divertido… Ele já saiu da barriga fazendo bagunça! Assim que o médico tirou da barriga ele saiu fazendo cocô! Mas assim que a médica o trouxe, sabia que era a melhor coisa que poderia me acontecer.

A Melissa foi a impressão do pai e da mãe, pois pela primeira vez, o Marcos pode participar do nascimento de um filho e foi para ele tão emocionante quanto para mim. Apesar de não ter a questão hormonal para um imprinting, o nascimento o pegou tão forte quando pegou a mim! Engravidar é uma experiência que toda mulher deveria experimentar, encontrar o filho pela primeira vez é realmente emocionante. Com a Joana foi um contato super rápido e ainda sim foi amor a primeira vista! Só soube o que era imprinting há pouco tempo mas já o conhecia antes de saber que era esse o nome que ele carregava, alias aninhar o bebê no seio é uma forma muito forte de imprinting, amamentação favorece que ele aconteça mais profundamente.

Patricia Amorim

Veja também: Cinco Razões para as Mães Dormirem Quando os Bebês Dormem

Foto: japeye, Martin Gommel