Recentemente nos deparamos com um novo diagnóstico médico, onde nenhuma certeza e evidência é dada causando total insegurança no tratamento e na conclusão da consulta. Conhecido como virose qualquer, quadro febril acompanhado de diarreia e vômitos sem causa aparente, esse é o diagnóstico dado por milhares de médicos sem ao menos realizar um exame.

Em alguns casos o diagnóstico é dado somente ao escutar os sintomas informados pelo paciente. Você sai do consultório com uma receita médica com alguns remédios a serem dados, mas a grande dúvida continua. Afinal, o que é virose?

A virose é causada pela existência de um vírus indeterminado que pode se alojar no trato respiratório ou intestinal. Normalmente são benignas e desaparecem ao passar dos dias. Variam de 7 a 10 dias para que todos os sintomas desapareçam completamente.

Eles podem ser constatados através de exames laboratoriais, que normalmente não são solicitados devido à demora do resultado que costuma ocorrer quando os sintomas já cessaram. Por isso, o tratamento é indicado logo quando os sintomas começam, e solicita-se aos responsáveis que a criança retorne caso não desapareçam após 10 dias.

Esses vírus normalmente circulam em locais de baixa temperatura e com grande número de pessoas onde a circulação do ar é reduzida. Locais com ar condicionado também são ambientes de grande proliferação do vírus, já que um simples espirro pode transmitir e circular o vírus pelo ar de todo ambiente.

Lembrando que existe uma grande variedade de vírus e nem todo tipo se aloja no mesmo local do corpo e muito menos causam os mesmos sintomas. Por isso, em alguns casos ocorrem estados febris junto de corizas nasais e em outros casos, a diarreia acompanhada de febre ou mesmo se surgindo todos os sintomas de uma única vez. Se não tratado como recomendado, a virose pode vir a agravar-se principalmente as que afetam o trato respiratório. Evolui para doenças mais complicadas como o caso da meningite viral e a pneumonia.

Tipos de Virose e como Evitá-las?

As viroses podem ser contraídas por diversas formas: pela ingestão de água contaminada, por um alimento e pelo ar. Por característica, a maior contaminação é nos períodos mais frios. Porém as viroses também ocorrem no verão, principalmente através do consumo de alimentos e bebidas contaminadas.

Existe uma extensa lista de vírus responsáveis pela virose em épocas mais quentes. Rotavírus, enterovírus e norovírus são os principais a afetarem a vida da população em geral, principalmente as crianças que possuem imunidade mais baixa. Seu principal foco é o aparelho gastrointestinal, que atacam diretamente o estômago e causam vômitos e diarreias fortes.

Já em períodos mais frios, os vírus mais recorrentes são o coronavírus, adenovírus e o famoso vírus influenza. Eles atingem diretamente as vias respiratórias e pulmonares, dando sintomas como inflamações na garganta, ouvido, corizas e tosse.

O consumo de água imprópria é um dos meios de contaminação

Existem alguns cuidados fundamentais para diminuir as chances de contaminação com esses vírus:

  • Lavar muito bem verduras, frutas e legumes antes do consumo
  • Beber água somente filtrada, mineral ou de fonte confiável
  • Evitar locais com muita aglomeração de pessoas
  • Evitar locais com ar condicionado
  • Tomar muito líquido mantendo o corpo sempre bem hidratado

No caso de bebês menores, a alimentação através do leite materno é fundamental para prevenção e recebimento de anticorpos, fortalecendo o sistema imunológico para evitar o contágio. A casa deve ser sempre arejada e mantida a ventilação dos ambientes.

Outra recomendação muito importante é não ir a prontos socorros sem necessidade, ou melhor, só procurar uma unidade de pronto atendimento quando realmente for necessário. Dentro dos hospitais existe uma grande quantidade de vírus circulando pelo ar e, o que antes poderia não ser tão sério, acaba contagiando a criança que já esta com a imunidade baixa por algum resfriado ou outra coisa simples.

Veja também: Sintomas de Desidratação em Crianças e Bebês

Fotos: Alpha, Julien Harneis