Uma situação que não é esperada por ninguém, mas muito comum ocorrer, é a má formação de algumas regiões do corpo. A considerada mais comum entre elas é na região das orelhas, recebendo o nome de orelha de abano.  A orelha de abano é constatada quando a borda lateral da orelha é afastada da cabeça, dando a impressão de ser maior que o normal.  Essa constatação ocorre ao longo do crescimento do bebê que por volta dos 3 anos e meio de vida tem suas orelhas 90% do tamanho que seguirá para o resto da vida.

>Por isso grande maioria dos médicos solicita aos pais que aguardem esse período para averiguação e se por necessidade, indicar algum reparo estético. No Brasil os especialistas em cirurgia plástica indicam que o reparo ocorra por volta dos 6 aos 7 anos de idade, onde a criança já tem consciência da situação e apresenta interesse em fazer a reparação.

</a

A orelha de abano em muitos casos vai além de um problema estético, pois devido a certos constrangimentos principalmente na fase escolar pode causar problemas sérios psicológicos, por isso alguns pais procuram ajuda logo cedo para evitar certas situações que seu filho possa vir a passar. O que não é aceita como motivo para grande parte dos especialistas, que encaram como real necessidade de intervenção quando a própria criança apresenta queixas ou algum desconforto perante a situação. Poucos são os cirurgiões que realizam o procedimento só pelo desejo dos pais em evitar constrangimento futuro.

Cirurgia orelha de Abano

Para quase tudo na vida existe solução, inclusive para a orelha de abano. A otoplastia é a cirurgia plástica para correção de orelhas proeminentes onde é indicada para diminuir pequenas e grandes deformidades, ângulo, tamanho e assimetria, além de deformidades de nascença ou causada por algum acidente ou trauma.

Dividido em graus de leve a grave o problema da orelha de abano, o médico avaliará a real necessidade do paciente. Levando em consideração  principalmente o grau de incomodo e desconforto da criança perante o fato. Por isso aconselham a procurar a avaliação de um cirurgião plástico quando a criança já tem em torno de 6 a 7 anos de idade, onde o desenvolvimento da sua orelha já esta completo  e a reparação não irá interferir no crescimento, além de já apresentar conhecimento sobre o fato e o seu desejo de reparação ou não, principalmente por já estar na idade escolar e encarar certas situações constrangedoras.

Todos sabem que na fase escolar, crianças tem o costume de “brincar” com os demais através de apelidos nem sempre tão engraçados e quase nunca divertidos. Muitos casos até atrapalham o desempenho escolar da criança, causando constrangimento e isolamento do mesmo. Normalmente crianças que sofrem com orelhas de abano passam por esse constrangimento e acabam se tornando foco de piadas entre os colegas ganhando variados apelidos. Quando vem a reclamação da criança, esta na hora de procurar auxilio e resolver a situação.

Uma consulta com um especialista que irá expor toda a situação de uma cirurgia de orelha de abano, mostrando os benefícios e possíveis complicações são fundamentais. Além de uma avaliação clinica e indicação de exames laboratoriais que irão estabelecer se a criança esta apta a passar por anestesia e procedimento cirúrgico. Normalmente o procedimento de anestesia será escolhido pelo anestesista, onde avaliará o tamanho da reparação a ser realizada, idade da criança e também condições físicas, sendo escolhido entre a anestesia local ou geral. O procedimento da cirurgia consiste em um pequeno corte na parte de traz da orelha, onde a pele é descolada da cartilagem e recolocada na nova posição mais próxima da cabeça, onde pontos internos serão dados para fixar a pele.

O pós-operatório é considerado tranquilo, obviamente dependendo da gravidade da cirurgia. Os cuidados são básicos para cuidados dos pontos, onde trocas de curativos devem ser realizadas.  Nos primeiros dias é comum um pequeno inchaço que irá diminuir de forma gradativa e os pontos externos deverão ser retirados em torno de 7 a 9 dias após a reparação cirúrgica.

Após esse período a criança poderá já voltar as suas atividades rotineiras, inclusive ir a escola. O resultado final da cirurgia de reparação da orelha de abano só será vista com êxito após 3 meses da realização. Onde o inchaço terá sumido totalmente e os pontos cicatrizados.

Veja também: Cuidados com o Bebê – Orelhas e Cabeça Amassadas e Arrotar

Fotos: James, Monroe’s Dragonfly