No decorrer da vida, milhares de possibilidades, de doenças e problemas de saúde podem nos acometer sem nenhuma explicação. Porém, o conhecimento faz com que possamos buscar alternativas de tratamento ou até mesmo formas de precauções. Por isso hoje iremos falar sobre uma síndrome pouco conhecida, chamada de paralisia de bell.

O Que é a Paralisia de Bell?

A paralisia de Bell é uma forma de paralisia facial resultante de dano ou trauma nos nervos faciais. É uma condição que causa fraqueza temporária ou falta dos movimentos de alguns músculos do rosto.

Pode ocorrer quando o nervo que controla os músculos faciais fica inflamado, inchado ou comprimido. A condição afeta apenas um dos nervos faciais e um lado do rosto, no entanto, em casos raros, ele pode afetar ambos os lados. Isso faz com que o lado afetado pareça caído ou fique rígido.

Pessoas com a Paralisia de Bell podem ter dificuldade em sorrir ou fechar o olho na metade do rosto afetada. Na maioria dos casos, ela desaparece após algumas semanas, e, embora possa ocorrer em qualquer idade, essa condição é mais comum entre pessoas entre 16 e 60 anos.

Motivo do Nome Síndrome de Bell

A paralisia de Bell recebeu esse nome após Charles Bell, um cirurgião e também anatomista escocês do século XIX descrever o funcionamento do nervo facial e sua ligação com a patologia.

Causas da Paralisia de Bell

Cada lado do rosto humano possui um nervo. O nervo facial (ou sétimo nervo como é conhecido) sai do cérebro e atravessa um pequeno túnel no crânio bem abaixo da orelha.

São esses nervos faciais que controlam os músculos de ambos os lados do rosto, fazendo com que os movimentos de abrir e fechar os olhos, piscar, as expressões faciais, como sorrir e franzir a testa sejam executados.

Além disso, o nervo facial carrega impulsos nervosos para as glândulas lacrimais, as glândulas salivares e também atua nas sensações gustativas da língua.

Quando a paralisia de Bell ocorre, a função do nervo facial é interrompida, causando uma interrupção nas mensagens que o cérebro envia para os músculos faciais. Essa interrupção resulta em fraqueza facial ou paralisia.

Não se sabe a causa exata da paralisia de Bell, mas, muitos pesquisadores médicos acreditam que sua ocorrência provavelmente é desencadeada por infecções virais. Isso porque essas infecções causam inchaço e compressão fazendo com que o nervo facial tenha seu funcionamento comprometido.

Principais Vírus Ligados a Paralisia de Bell

Os seguintes vírus são comumente associados à paralisia de Bell:

  • Herpes labial e herpes genital
  • HIV, que danifica o sistema imunológico a
  • Varicela e herpes-zoster
  • Mononucleose (Epstein-Barr)
  • Infecções por citomegalovírus
  • Doenças respiratórias por adenovírus
  • Rubéola
  • Gripe (influenza B)
  • Síndrome mão-pé-boca.
  • Doença de Lyme, que é uma infecção bacteriana causada por carrapatos infectados

Sintomas da Paralisia de Bell

Os sintomas da paralisia de Bell podem se desenvolver de uma a duas semanas após uma infecção dos ouvidos ou até mesmo nos olhos. É súbita, na maioria das vezes, atingem seu pico dentro de 48 horas e levam a distorção facial significativa. Os efeitos da fraqueza variam, dependendo se o nervo é parcialmente ou totalmente afetado.

Os sinais e sintomas da paralisia de Bell incluem:

  • Queda da pálpebra e canto da boca
  • Dificuldade em manter a saliva dentro da boca
  • Dificuldade em comer e beber
  • Incapacidade de fazer expressões faciais, como sorrir ou franzir a testa
  • Fraqueza facial, somente um lado se movimenta
  • Espasmos musculares no rosto
  • Tonturas
  • Olho e boca seca
  • Dor de cabeça
  • Sensibilidade ao som
  • Dificuldade com a fala
  • Perda da capacidade de sentir o sabor dos alimentos
  • Desconforto em torno da mandíbula e atrás da orelh

Fatores de Risco Para a Paralisia de Bell

O risco de desenvolver a paralisia de Bell aumenta caso exista essas condições:

  • Gravidez
  • Diabetes
  • Infecção pulmonar
  • Infecção renal
  • Histórico familiar da paralisia

Como Diagnosticar a Paralisia de Bell

O diagnóstico da paralisia de Bell é feito com base na apresentação clínica, perguntas sobre os sintomas, a quanto tempo começaram a aparecer, observação da aparência facial distorcida e a incapacidade de mover músculos no lado afetado do rosto, descartando outras possíveis causas de paralisia facial.

Não há teste laboratorial específico para confirmar o diagnóstico da doença. Geralmente, o médico realizará um teste chamado eletromiografia (EMG) que pode confirmar a presença de dano nervoso, determinar a gravidade e a extensão da fraqueza nos músculos faciais.

Na maioria dos casos, essa fraqueza é limitada a um lado do rosto ou ocasionalmente isolada na testa, na pálpebra ou na boca. Os exames de sangue às vezes podem ser úteis no diagnóstico de outros problemas concorrentes, como diabetes ou a presença de uma infecção bacteriana ou viral.


Uma imagem de ressonância magnética (MRI) ou tomografia computadorizada (TC) pode eliminar outras causas de pressão sobre o nervo facial.

Doenças Que Podem Ser Confundidas Com Paralisia de Bell

A paralisia de Bell é uma indicação considerada comum de paralisia facial. Outras causas menos comuns causadas por outras condições que danificam ou afetam o nervo facial, podem ser: um traumatismo craniano, sarcoidose, doença de Lyme, tumores na orelha, tumores na glândula parótida e tumores no cérebro.

Além disso, algumas pessoas que sofrem AVC podem desenvolver fraqueza facial. No entanto, essas condições geralmente estão associadas com outros sintomas. Isso ajuda a diferenciar os diagnósticos. Alguns desses sintomas são:

  • Em casos de AVC, outros músculos além dos faciais provavelmente são afetados, como braço ou perna
  • Em casos de tumor, os sintomas geralmente se desenvolvem lentamente (ao longo de semanas ou meses), enquanto a paralisia de Bell é súbita, geralmente “da noite para o dia”
  • Condições tais como a sarcoidose e doença de Lyme tendem a causar outros sintomas além de paralisias nervosas
  • Em particular, a paralisia de Bell é incomum em crianças menores de 10 anos de idade. Outras condições devem ser cuidadosamente descartadas em crianças que desenvolvem fraqueza facial.

Como é Tratada a Paralisia de Bell?

A paralisia de Bell afeta cada indivíduo de forma diferente. Alguns casos são leves e não requerem tratamento, pois os sintomas geralmente diminuem por conta própria dentro de 2 semanas. Para outros, o tratamento pode incluir medicamentos e outras opções terapêuticas.

Se for constatada uma infecção com causa da Paralisia de Bell, o tratamento direcionado pode resolver o problema. Estudos recentes mostraram que os esteroides, são efetivos no tratamento da paralisia. Os seguintes tratamentos podem ajudar na recuperação.

Medicação

Medicamentos corticosteroides, que reduzem a inflamação e inchaço. Medicamento antiviral ou antibacteriano, usado para combater infecções virais por herpes, também podem ter algum benefício em reduzir o curso da doença.
Medicamentos analgésicos, podem ajudar a aliviar a dor leve. Lubrificantes de gotas para os olhos, como colírios, pomadas ou géis, também são eficazes. Devido às possíveis interações medicamentosas, as pessoas que tomam medicamentos prescritos devem sempre conversar com o médico antes de tomar qualquer medicamento sem receita médica.

Tratamento Domiciliar

Outro fator importante no tratamento é a proteção ocular. A paralisia de Bell pode interromper a capacidade natural de piscar ou fechar os olhos, deixando-os expostos à irritação e à secura. Portanto, manter o olho úmido e o proteger de detritos e lesões, especialmente à noite, é extremamente importante.

  • Colocar uma toalha quente e úmida sobre o rosto pode aliviar a dor
  • Massagem facial
  • Terapias como acupuntura podem proporcionar uma melhoria potencial na função e dor do nervo facial.

Fisioterapia

Os músculos paralisados pela condição podem encolher e diminuir, provocando contraturas permanentes. Fisioterapeutas podem ajudar ensinando exercícios e massagem para os músculos faciais se recuperarem ou então para evitar essa complicação.

Possíveis Complicações da Paralisia De Bell

A maioria das pessoas que tem um episódio da paralisia de Bell vai se recuperar completamente sem complicações. No entanto, podem ocorrer complicações em casos mais graves de paralisia de Bell. Estes incluem o seguinte:

  • Danos irreversíveis ao nervo facial
  • Contração involuntária dos músculos – que é a condição em que mover uma parte do corpo faz com que outra se mova involuntariamente. Por exemplo, seu olho pode fechar quando você sorri.
  • Secura excessiva no olho, o que pode levar a infecções oculares, úlceras ou mesmo cegueira.

Existe Cirurgia Para a Paralisia de Bell?

Em geral, a cirurgia de descompressão (aliviar a pressão sobre o nervo) para a paralisia de Bell é controversa e raramente é recomendada. Em raras ocasiões, uma cirurgia estética ou reconstrutiva pode ser necessária para reduzir as deformidades e corrigir algum dano, como uma pálpebra que não irá fechar completamente ou um sorriso torto.

Paralisia de Bell Tem Cura?

Sim, a paralisia tem cura. O prognóstico para indivíduos com paralisia de Bell geralmente é muito bom. A extensão do dano do nervo determina a extensão da recuperação.

A melhoria é gradual e os tempos de recuperação variam. Com ou sem tratamento, a maioria dos indivíduos começa a melhorar nas 2 semanas após o início inicial dos sintomas e a maioria se recupera completamente, retornando à função normal dentro de 3 a 6 meses.

Para alguns, no entanto, os sintomas podem durar mais. Em alguns casos, os sintomas podem nunca desaparecer completamente. Em casos raros, o distúrbio pode se repetir, no mesmo lado ou no lado oposto do rosto.

Prevenção

Como as causas da paralisia de Bell não são conhecidas, não há formas de prevenir a doença. Porém, existem pesquisas sobre distúrbios cerebrais e do sistema nervoso, incluindo a paralisia de Bell.

Essas pesquisas concentram-se em aumentar a compreensão de como o sistema nervoso funciona e o que faz com que entre em colapso em uma determinada situação, levando à disfunção.

Aprender mais sobre as circunstâncias que levam ao dano nervoso e as condições que causam lesões aos nervos. O conhecimento obtido com estas pesquisas pode ajudar os cientistas a encontrar a causa definitiva da paralisia de Bell, levando à descoberta de novos tratamentos efetivos para o transtorno.

Visam o desenvolvimento de métodos para reparar os nervos danificados e restaurar o uso total e a força para as áreas feridas, e encontrar maneiras de evitar danos nervosos e lesões.

Quando Buscar Ajuda?

Ligue imediatamente para o médico caso esteja mostrando sinais de paralisia de Bell. Um tratamento rápido pode ajudar a acelerar o tempo de recuperação e prevenir quaisquer complicações.

Veja Também: Paralisia Cerebral Infantil
Fotos: Patrick J. Lynch