Hoje olhando para traz, fico pensando e lembrando tudo que já passei para engravidar e também em todos os cuidados do parto, pois foram bem diferentes um do outro. No parto da Joana eu me dei muito bem com a recuperação mas também foi um parto muito tranquilo e sem intercorrências. Foi sim um parto cesáreo de emergência pois o bebê estava em sofrimento. Lembro-me como se fosse agora, a picadinha mínima da agulha que aconteceu e as pernas logo ficaram pesadas. Não tive nada de reação com anestesia que foi a Raquidiana. Foi realmente e sem dúvidas um parto sensacional em termos de não sentir nada, além do clássico desconforto da queda de pressão na hora do parto. Essa queda de pressão sempre por conta da anestesia e mesmo se tratando de ser uma cesárea, foi muito bem obrigada.

Além de ter ficado um dia a mais no hospital por conta da Joana estar internada por problemas, foi uma recuperação fácil. Não senti dor alguma após o parto e somente sentia algum desconforto se ficasse mais do que 8 horas sem tomar a medicação para dor. Meu obstetra na época me receitou cefalexina e também Lisador, que é realmente um ótimo medicamento pós operatório. Ficava das 7 da manhã as 8 da noite na maternidade até que a Joana teve alta. Foram dias difíceis, mas não faria nada diferente. Já com 15 dias da cirurgia retirei os pontos e estava nova em folha.

Com o parto do Dudu foi bem diferente, acho que foi totalmente o oposto do parto da Joana. Sei que cesárea é uma CIRURGIA, mas como foi necessário já que não havia nada de dilatação apesar de induzir, fui novamente para a mesa de cirurgia e desta vez passei algumas dificuldades. A anestesia foi novamente a Raqui, porém desta vez a dose aplicada foi maior e ela acabou subindo para o pulmão. Tive alguns momentos ruins dentro da sala de cirurgia, mas mesmo assim deu tudo certo no parto. Dudu nasceu muito bem e gordinho, corado e gritando bastante. A recuperação do parto foi um pouco mais trabalhosa. Tive cefaleia pós raqui e sofri um pouco para amamentar. Não tinha leite e nem colostro para amamentar. Sem contar um bendito ponto da cirurgia que fez questão de inflamar. Na hora da alta o médico responsável não receitou nenhum antibiótico e esse fez bastante falta para me recuperar rápida e totalmente. Levei um pouco mais de tempo para ficar bem, acho que 1 mês ao todo e a recuperação se deu depois da minha cunhada Patricia, médica me receitar a cefalexina para ajudar no ponto inflamado que já estava até saindo secreção. Após o período de recuperação me senti muito bem e não tive maiores problemas.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

Nem Tudo São Flores…

Recentemente também relatei o parto da Melissa e de longe esse foi o mais dolorido e também o mais demorado. Mais uma vez cesárea, mas dessa vez iria fazer laqueadura e apesar de mais uma vez ter o desconforto da queda de pressão foi tudo tranquilo. Logo depois do parto tive algumas reações pós anestesia como tremedeira mas não sentia frio, pelo contrário. Eu sentia muito, muito calor e suava e tremia ao mesmo tempo. Foi estranho, nunca tive uma sensação parecida. Também tive a reação de me coçar muito onde a roupa e o elástico da roupa encostavam. Demorou cerca de 2 dias para passarem todos os efeitos colaterais e segundo o obstetra, era perfeitamente normal. Não posso esquecer de mencionar que nos outros dois partos não tive absolutamente nada de tontura na hora de me levantar para tomar banho, mas dessa vez…

Juro que parecia que estava em um navio desgovernado em meio a um mar muito revolto. Fiquei assim por umas 3 hora após levantar para tomar banho e a enfermeira que me auxiliou orientou que me mantivesse mais sentada na cama para que o liquido do labirinto (liquido oleoso que fica dentro do ouvido e é responsável pelo equilíbrio) estabilizasse. De fato, as tonturas cessaram e logo pude me equilibrar sozinha. Essas tonturas acontecem por ficar muito tempo deitada em uma só posição e também em conjunto com a anestesia provocam essa reação.

Fazer xixi foi um caso a parte nas 3 vezes que fiz cesárea! Devido a sonda, fica mais complicado as primeiras micções. Parece que não vai sair xixi nunca mais! No fim tudo deu certo. Problemas com gases eu tive nas 3 vezes e no último parto foi pior, eu sentia os gases andando dentro da barriga e não consegui fazer o numero 2, apenas depois de tomar Tamarine receitado pelo obstetra e que santo remédio!

Relato de Parto da Fernanda

“A recuperação foi muito rápida, fiquei com tanto medo da anestesia e não me dei conta do porte da cirurgia. Tive dores muito fortes logo após o efeito da anestesia passar, mas com 10 dias estava lá eu lavando banheiro , estendendo roupa etc… Resguardo ham???? O que é isso ! rsrsr O médico me receitou antibiótico, Luftal e mais alguns outros que não me lembro no momento. Já fazem 2 anos!! Ir ao banheiro foi OMG pensei que tudo fosse cair e eu não ia parar em pé. Fiquei 8 horas deitada e acredito que minha bexiga encheu demais, e eu tão nervosa não me lembrei de dizer que queria fazer xixi. Uma dor muito punk, mas que passaria tudo de novo para realizar esse SONHO.”

É importante saber que nem sempre os médicos receitam antibióticos no pós parto e sim algumas vezes, a maioria delas é receitado anti inflamatórios apropriados. Porém se você sentir algum ponto inflamado tem sim que recorrer ao antibiótico. A cefalexina é segura para amamentar e não faz mal algum ao bebê. Se sentir algum ardor fora do normal ou umidade no local da cesárea é necessário falar com o obstetra que fez o parto. Assim ele irá verificar a necessidade da medicação. Claro, além disso tomar muito cuidado com o pós parto. Cuidados esses que incluem não pegar peso, subir e descer escadas sem necessidade e muito cuidado com quedas.

O ideal seria uma cesárea humanizada onde mãe e filho pudessem ter o mesmo contato do parto via vaginal e natural. Assim que o bebê sair de dentro da mãe, pudesse ser acolhido e aconchegado em seu peito, disso eu sinto falta…  Seria mesmo muito melhor, mas mesmo dando a luz por 3 vezes via cesárea foram experiências diferentes umas das outras, não sei se poderia ser diferente com um parto normal, mas enfim… foi dessa forma e não há mais o que fazer em relação a isso. Me concentro mais no fato em que todos estão bem e com saúde e isso me basta.

Veja também: Parto humanizado agora é lei!

Foto: Todd Anderson