Segundo resultados da maior pesquisa realizada sobre antibióticos na gravidez, o uso de macrólidos e penicilina não é mais motivo de preocupação. Durante todo o período gestacional milhares de mulheres recebem como recomendação medica o uso de antibióticos para algum tipo de infecção e cerca de 4 em 10 utilizarão em algum momento da gravidez inevitavelmente.

Além da penicilina, os antibióticos macrólidos são os medicamentos mais utilizados por toda a população. Os macrólidos são os que possuem em sua composição eritromicina, azitromicina, claritromicina e fidaxomicina. Eles possuem maior amplitude do que a penicilina e também é recomendada no caso de alergia a penicilina. No entanto, até agora, os médicos ginecologistas vetaram os medicamentos por serem teoricamente prejudiciais à gravidez, pois seu uso poderia ultrapassar a barreira da placenta e chegar ao feto.

O estudo foi realizado por Anick Bérard da Universidade de Montreal no Canadá e aponta que a utilização desses antibióticos podem oferecer sim alguns riscos como a má formação cardiovascular e uma possibilidade maior do bebê sofrer com epilepsia ou paralisia cerebral. Fato este que tem afastado as prescrições medica as gestantes para o uso destes medicamentos.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

O grande problema é que antibióticos para tratamento de doenças como a clamídia, por exemplo, podem ser igualmente prejudiciais. Porém, a Food and Drug Administration e Heath Canadá não autorizam a inclusão de testes em gestantes para que seja avaliada a eficácia e contra indicações dos medicamentos em questão.  Por isso não é considerado 100% seguro a utilização desses componentes durante a gestação. Os resultados são inconclusivos, e os resultados são avaliados através de resultados indiretos. Portanto, até que se prove que a teoria dos antibióticos não fará mal ao bebê causando má formação, o seguro é manter as gestantes sob medicamentos que são autorizados para tratar infecções, como a cefalexina por exemplo.

Veja também: Nova Técnica de Fertilidade Pode Trazer Esperança Para Homens Estéreis

Foto: Andressa Sipaúba