A placenta é um o único órgão provisório do corpo humano que fica alojado no corpo feminino por um período único e exclusivo como a gravidez. Além desse fato curioso, ele é de extrema importância, não para a mamãe, mas sim para o bebê que cresce dentro do útero materno.

Aparência da Placenta

Com aspecto semelhante ao fígado, a placenta que é cheia de veias e vasos que são irrigados pelo sangue da mamãe. Ela é a responsável por levar os nutrientes necessários para a formação e também a oxigenação do feto.

O bebê não respira dentro do ventre, todo oxigênio que o bebê consome é fornecido pela placenta  através do cordão umbilical, oxigênio fornecido pelo organismo da mãe.  Mas um órgão tão importante pode trazer algumas duvidas para as mamães quando examinado pelo médico durante o pré natal.

Vamos neste post explicar algumas definições que são citadas nos laudos ultrassonográficos e que podem ou não significar um sinal de alerta. Com vocês: placenta anterior, placenta posterior e placenta baixa. Para entender melhor, devemos lembrar que a gestação é acomodada no útero que é, depois da pele, o segundo órgão humano que mais tem capacidade de expansão. Ele é capaz de crescer cerca de 100 vezes o seu tamanho. Nele durante a gestação, é acomodado o bebê e a placenta que através do cordão umbilical, leva ao bebê tudo que é preciso para o seu desenvolvimento.

Placenta anterior

A placenta anterior é a localização na parede da frente do útero. Por isso, é denominada anterior, que é anterior ao útero e próxima da barriga da gestante. A placenta anterior pode ser localizada na direita ou esquerda no útero, mas sempre na parte da frente.

Placenta posterior

A placenta posterior, assim como a anterior é denominada pela localização da posição de fixação da placenta no útero. Ao contrário da placenta anterior, a posterior é fixada na parede próxima às costas da gestante. Também é possível que a placenta esteja fixada à direita ou esquerda do útero.

Placenta Fúndica

A placenta fúndica é localizada no topo do útero da mãe. Ela se localiza no alto mais próximo às trompas e de longe, é o melhor local para a fixação da placenta.

Placenta baixa

A placenta baixa dentre todas as opções é a única que pode significar algum problema na gravidez, porém, problema este apenas para o parto e não para a gestação em si.

Como ela se localiza fixada próximo, se não em cima do colo do útero, pode impedir que o bebê pudesse nascer por via de parto normal. Mesmo que a mulher tenha dilatação, se a placenta baixa for completa, impede a passagem do bebê pelo colo do útero.

A placenta baixa pode ter localização anterior ou posterior dentro do útero, porém sempre abaixo do que deveria, no topo do útero em crescimento. Você pode saber mais sobre a placenta baixa neste post do site.

Aspectos da Placenta Anterior, Placenta Posterior e Fúndica

É importante lembrar, que a localização da placenta é determinada pelo local onde o zigoto (embrião) se fixa após a fecundação. O melhor local para a fixação do bebê, é a parte baixa e mais macia do endométrio.

posições da placenta intra útero

A fixação determinará se a placenta será baixa, posterior ou anterior. Também é possível determinar graus da placenta, quanto menor, melhor estará e mais saudável também é. Se a sua placenta estiver em grau zero ou 1, significa que ela ainda é bastante jovem à partir do grau 2 está amadurecendo e o grau 3 significa que está envelhecida, mas ainda é capaz de manter a gravidez saudável. Portanto de a gravidez vai bem e o pré natal é bem acompanhado não há com o que se preocupar.

É possível que o útero acomode mais de uma placenta ao mesmo tempo, neste caso a gravidez será gemelar e nem todas as placentas terão a mesma acomodação dentro do útero. Se forem mais de 2 bebês, então, é possível que tenham todas as posições citadas aqui neste texto, simultaneamente.

Falando nisso, também vale lembrar que a placenta pode não se fixar no mesmo lugar para uma mesma mulher em gravidezes diferentes. Então se teve placenta baixa na primeira gestação, não é um precedente preocupante para a segunda gestação, neste caso a máxima de que cada gravidez é única é realmente verdadeira.

Aproveitando o espaço, gostaria de contar uma novidade para nossas leitoras gestantes. Eu e a empresa Famivita, pensando nas necessidades nutricionais e também dificuldades das mulheres durante a fase gestacional, desenvolvemos um polivitamínico gestacional completo com todas as vitaminas e minerais importantes para o desenvolvimento fetal com um diferencial das demais vitaminas, o tamanho da cápsula. Como é muito difícil engolir cápsulas e comprimidos durante o período de enjoos e náuseas, que em alguns casos pode se estender por toda gestação, produzimos a vitamina FamiGesta em pequenas cápsulas que são facilmente engolidas, do tamanho de um MM’s. Você pode adquiri-la aqui nossa loja virtual.

Veja também: Cordão Umbilical e Umbigo do Bebê – Sua Função Dentro do Útero

Fotos: Magnus Manske