O pós-parto é um momento importante para todas as mulheres que tiveram um bebê. Esse é um momento cheio de dúvidas e preocupações, pois além de todas as mudanças no corpo e alterações hormonais, a chegada de um novo membro da família provoca mudanças na rotina, além de provocar reações psicológicas e emocionais.

Não é surpresa que muitas mulheres passam por uma montanha russa de emoções, ficando suscetíveis a comentários, opiniões e aos acontecimentos que ocorrem. Mesmo para as mulheres que já tiveram um filho e acabaram de ter o segundo, as dúvidas e preocupações continuam, pois cada bebê é diferente um do outro, e os desafios também podem ser totalmente diferentes.

Embora muitas mulheres se preparem para passar por essa fase, algumas delas necessitam do apoio da família, do parceiro e dos amigos para tornar o pós-parto uma fase mais leve. As inseguranças e dúvidas são comuns e, até mesmo, normais para quem está passando por isso, e ao longo desse artigo vamos dar dicas de como encontrar suporte para fazer dessa fase um momento mais tranquilo.

Qual a sua rede de apoio?

Nós, seres humanos, somos seres sociais e dependemos do contato e assistência dos outros para termos uma parte de nossas necessidades satisfeitas. Ninguém vive sozinho e isso nem mesmo é saudável, e em um momento tão delicado quanto o puerpério, essa necessidade de suporte cresce mais ainda.

Ter a família por perto é de grande ajuda para passar por esse momento da vida. Aquela atenção e carinho que vem da mãe ou da avó, uma irmã ou irmão que vem ajudar, ou uma tia ou tio que dão apoio, são fundamentais para a nova mãe.

Não somente a família, mas também os amigos são peças fundamentais. Principalmente para aquelas mulheres que não contam com a família morando por perto, os amigos acabam se tornando a família que elas têm e todo o suporte nesse momento é muito bem-vindo.

Mesmo assim, por mais que se tenha uma rede de apoio que esteja presente, muitas vezes as mulheres podem se sentir sozinhas ao passar pelo puerpério. Mesmo para as mulheres que sempre desejaram ser mães, as dificuldades chegam e os desafios se tornam intensos, pois agora uma nova vida depende dela.

São muitos acontecimentos ao mesmo tempo e são muitas preocupações a serem levadas em conta, e a mulher, muitas vezes, pode sentir com grande intensidade todo o peso que a maternidade carrega junto consigo.

Com a chegada de um bebê, a rotina da casa e da vida dos pais serão transformadas, e aí até as tarefas domésticas ficam de lado. Isso pode acabar sobrecarregando a nova mamãe que, além de ter que cuidar do filho recém-nascido, tem preocupações sobre lavar louça, lavar roupa, limpar a casa… A presença e o apoio do pai neste momento são fundamentais para que estas tarefas sejam feitas. Além disso, os amigos e familiares também são suportes essenciais para que a mãe possa se dedicar mais tempo aos cuidados com o bebê.

É importante que todos estejam conscientes de que, mais do nunca, a mulher precisa de apoio e até essas tarefas mais simples se tornam um desafio quando há um bebê em casa. A nova mãe se torna uma cuidadora invisível, pois muitas vezes é inevitável que as visitas acabem colocando a maior parte da atenção somente no bebê. Por isso, é importante lembrar que não há somente um novo bebê na casa, há também uma nova mulher, que acabou de se tornar mãe e está enfrentando muitos desafios por isso.

E não somente a ajuda com as tarefas de casa é que é importante. O saber ouvir é também uma atitude muito bem-vinda. Muitas vezes, tudo o que a mãe precisa é de um abraço, ou de que seja ouvida. Gestos de carinho e empatia são fundamentais para propiciar à mãe o sentimento de que ela tem apoio e que não está sozinha.

A maioria das mulheres que se tornam mães tinham uma rotina completamente diferente de antes da chegada do bebê. Algumas trabalhavam 8 horas por dias, faziam academia, iam ao shopping todos os finais de semana ou ao salão de beleza, dentre outras atividades. Pelo menos durante algum tempo, todas essas atividades são deixadas em stand by, pois toda a energia se volta para os cuidados com o bebê.

Dessa forma, o puerpério é um dedicar-se intenso e brusco a muitas atividades que antes não eram comuns, e muitas vezes as mães só querem ter alguém para falar o quanto estão desgastadas ou assustadas com a rotina, e a rede de apoio é fundamental para preencher essa necessidade.

O que significa ter uma rede de apoio?

Uma rede de apoio vai facilitar a relação mãe-bebê, auxiliando naquilo que a mãe precisar durante o puerpério. É estar disponível e fazer parte do suporte que a mãe precisa.

Nenhuma criança vem com um manual de instruções – felizmente ou infelizmente! E por isso, todas as mulheres estão sujeitas a erros e acertos durante a maternidade, e isso é completamente normal. A rede de apoio vai prover o suporte necessário à mãe para que ela possa traçar o seu próprio caminho na criação do filho, levando em consideração seus próprios limites e possibilidades.

Assim como o recém-nascido precisa de cuidados, a mãe também precisa. Como a mãe se dedica 24 horas ao bebê que acabou de chegar, os seus cuidados ficam em segundo plano e aí que entra a rede de apoio para tornar esses cuidados possíveis, provendo o suporte necessário durante o puerpério.