Sou apaixonada pelos meus filhotes e poucos sabem como foi complicado engravidar e até mesmo passar por problemas na gravidez, como foi no caso da última gestação que tive sérios riscos de pré eclâmpsia. Bom, vamos do começo? Sempre ouvi falar de pré eclâmpsia. Até mesmo tive uma grande amiga com esse problema quando ainda esperava o Dudu e quando recebi o diagnóstico fiquei mega assustada. Bom, ao receber a notícia da gravidez eu fiquei muito feliz, afinal amo ser mãe e tudo que eu mais queria no mundo era sentir todas aquelas sensações novamente.

O positivo chegou 4 anos e 8 meses após o ultimo parto e foi muito comemorado. Mais um bebê na família e dessa vez eu estava mais madura e mais segura de tudo que poderia acontecer. Com 4 meses de gravidez surgiu um número muito alto na minha vida, 18 x 11. Foi esse o resultado após aferir a minha pressão no consultório do pré natal. Nesse dia, meu medico e eu tomamos o maior susto afinal, eu não sentia nada! Já sai do consultório com uma receita de metildopa em uma mão e na outra um bloco de exames para fazer e escrito nos pedidos a suspeita de DHEG doença hipertensiva específica da gestação.

Veja neste vídeo o relato do positivo ao nascimento da Melissa.

Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! Conheça minha história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida após 4 anos!
"Após 4 anos encontrei a solução e engravidei! No vídeo conto a história e meu segredo." (Alyne, grávida de 4 meses)
Assistir agora!
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo
Dra. Andrea: Engravidar com FamiGel
"Secura vaginal complica a vida de quem quer engravidar. FamiGel resolve esse problema" (Dra. Andrea Gomes - Ginecologista e Obstetra)
Saiba mais no vídeo

Embora soubesse por alto o que era, eu não acreditava na possibilidade e estava mesmo passada. Dias depois de começar a tomar o medicamento meus exames ficaram prontos e o pior de tudo era que a proteína da urina estava mesmo fora do normal para uma gestante. Estava alta, mas apesar de tudo os outros exames estavam normais. Com 28 semanas de gestação foi constatado uma fissura na artéria da veia esquerda e dessa vez tive que ser afastada de todas as atividades com a confirmação da suspeita de DHEG que poderia levar a pré eclâmpsia em si. Ficamos todos assustados e tomava o máximo de cuidado possível, não fazia esforço e tomava a medicação na hora certinha. Por conta da possibilidade de pré eclâmpsia, o parto poderia ser antecipado para 37 semanas mas por fim ás 36 semanas com a pressão estabilizada por estar tomando a dosagem máxima de metildopa, possibilidade de pré eclâmpsia foi se afastando e por isso conseguimos manter a gravidez até as 40 semanas e ficamos aliviados em saber que tudo havia corrido bem.

Então enfim dia 22 de julho de 2011 senti pela terceira vez o maior amor do mundo. Apesar de todos os fantasmas e sustos que essa gravidez me trouxe eu faria tudo novamente. A pré-eclâmpsia não é um problema qualquer e requer uma atenção especial do seu médico. Cuidar da pressão é essencial, diminua o sal e beba muito líquido e o mais importante, faça o acompanhamento pré natal bem feito e tome rigorosamente a medicação, isso pode fazer com que a pré eclâmpsia seja apenas uma remota possibilidade como foi no meu caso.

Bjokas

Veja também: Dr Jaime responde sobre hipertensão e pré eclâmpsia

Foto: Acervo Pessoal