Aliada da mulher, a temperatura basal é uma forma de conhecer melhor o ciclo menstrual apenas com um termômetro! O método simples de medir a temperatura após algumas horas de sono e ainda em repouso tem ganhado mais e mais seguidoras, tanto que querem engravidar como que querem evitar esta gravidez. A ferramenta fundamental para esta prática é o termômetro basal. Recomendada por médicos especialistas em fertilidade, a técnica foi se aperfeiçoando ao longo dos anos e ganhando muitas mulheres que acabaram ficando craque no assunto. Para aprender o método só é preciso uma coisa: boa vontade.

O Que é a Temperatura Basal?

É um método onde se usa a temperatura corporal após repouso de 6 a 10 horas para identificar a atividade hormonal de cada fase do ciclo. Os hormônios agem de uma determinada forma e o corpo reage com aumento ou redução da temperatura características daquela fase hormonal. Com isso, se sabe quando a mulher vai menstruar ovular, se já ovulou e ainda, se está grávida. O método consiste em medir a temperatura com termômetro basal digital, anotar e interpretar o ciclo conforme alterações do gráfico.

Antigamente usavam-se gráficos em folha de papel, porém, ultimamente os mais usados são os digitais. Alguns sites oferecem esta vantagem e ajudam a identificar corretamente a ovulação. Também existem diversos aplicativos de celular para tal finalidade onde os valores medidos com o termômetro basal são passadas manualmente e o aplicativo toma conta do restante.

Como Medir a Temperatura Usando o Termômetro Basal?

Para medir a temperatura e anotar em gráfico de papel ou digital, é importante saber que o termômetro basal digital é fundamental. Ele mostra qualquer alteração minuciosa e é mais preciso até mesmo do que o termômetro de mercúrio. Para maior eficiência do método é recomendável que a mulher use o termômetro de temperatura basal para aferir pela boca ou pela vagina e nunca pela axila. Para escolher a forma que será melhor para você é importante fazer o teste primeiramente via oral. Se você é do tipo que dorme com a boca aberta, é quase certeza que a temperatura não será precisa, por isso a via mais segura nestes casos é a vaginal.

Após acordar e sem fazer movimentos bruscos, a mulher introduz o termômetro na boca (embaixo da língua) ou vagina. Não é necessário introduzir muito o termômetro na cavidade vaginal, apenas a ponta. Quanto menos se movimentar melhor. Por isso, recomenda-se até que deixe o termômetro basal embaixo do travesseiro ou na mesa de cabeceira, bem acessível a mão sem que precise levantar-se. Na compra é muito importante que seja digital para maior precisão do gráfico de temperatura. Também é preciso medir sempre no mesmo horário e com pelo menos 6 horas de sono direto ininterrupto. Para higienizar o termômetro basal após o uso basta um chumaço de algodão umedecido em álcool 70% e guardá-lo em um estojo apropriado de material lavável. Uma caixinha de escovas de dente serve muito bem para esta finalidade.

Interpretação e Identificação do Período Fértil?

O período fértil é o momento em que o estrogênio toma conta do ciclo. Ele age baixando a temperatura média da mulher para até menos 1 grau. Pode variar de 2 pontos até 1 grau completo a menor do que a temperatura anterior. O pico de LH (hormônio luteinizante) faz essa queda ainda maior. Digamos que o pico para baixo do gráfico indica que a ovulação irá acontecer naquele dia ou mais tardar no próximo. Para determinar exatamente a ovulação, é preciso associar a temperatura com outros sintomas como o muco e dores de ovulação.

Logo após a ovulação, a temperatura irá subir consideravelmente em relação ao período ovulatório. Neste momento é possível ter certeza da ovulação. Porém se a temperatura não houver grande variação, é possível que não tenha tido ovulação ou uma atividade hormonal significativa. Próximo à menstruação, a temperatura irá cair devido à baixa hormonal, queda da progesterona. Para compreender a temperatura corporal, usar um bom termômetro basal certamente fará toda a diferença.