Quando um casal com filhos decide ter mais um bebê, tudo que se espera é a alegria da família com a chegada do novo membro. Mas nem sempre o nascimento de um novo filho é recebido de forma tranquila pelos mais velhos, que por diversos fatores podem desencadear uma regressão do desenvolvimento. Mas porque isso ocorre e até que ponto isso é considerado normal?

A regressão do desenvolvimento de filhos mais velhos com a chegada de um novo bebê em casa é considerado normal pelos especialistas em comportamento infantil. E de repente o filho que já não usava mais fraldas, não chupava chupeta e usava mamadeira há anos, decide se comportar como um bebê e fazer xixi na cama e a pedir seus objetos já deixados de lado. Começa a falar como um bebê um e agir de forma manhosa disputando colo e atenção a todo o momento, isso quando também não pede para mamar no peito da mãe. Tudo isso ocorre devido a carência, ao medo de perder o posto de filho querido e até mesmo de disputar a atenção com o bebezinho que acabou de chegar, já que é necessário tantos cuidados.

Esse tipo de regressão do desenvolvimento infantil é esperado e não deve ser lidado de forma agressiva pelos pais e muito menos encarada de forma errada. O universo infantil se desenvolve de forma rápida e eles passam por transições quase que imperceptíveis e por isso algumas vezes precisam retornar algumas etapas para se sentirem seguros na nova fase. Tudo faz parte do processo de desenvolvimento deles e por isso temos que agir de forma natural quando nos deparamos com essa situação.

Só devemos nos preocupar realmente com a regressão do desenvolvimento quando ela envolve a parte física, envolvendo as atividades antes tão comuns e rotineiras na vida da criança. Como parar de andar, sentar, escovar os dentes e segurar objetos como normalmente fazia.  Regressão física pode ser sinal de um problema mais sério como a distrofia, que causam retardos musculares. Ficar atenta a todos os sinais e em caso de dúvidas ou desconfiança, procurar um pediatra para aconselhamento.

Algumas crianças podem apresentar dificuldades no relacionamento com os demais e na comunicação. Acabar se isolando, não querendo participar de atividades que antes fazia, inclusive ir a escola.  O medo de se afastar da mãe e dos familiares faz com que a criança se anule a tudo que parecia tão atrativo anteriormente. Caso o quadro se agrave e seja notada regressão no desenvolvimento comunicativo, fora do relatado o pediatra deve ser comunicado, já que esses sinais também são característicos ao autismo.

Como Agir Com a Regressão das Crianças?

Nunca, em hipótese alguma brigue, coloque de castigo ou dê punição por estar agindo dessa maneira! Tudo que a criança necessita neste momento é compreensão, carinho, atenção e agir ao contrário fará que a questão se acentue ainda mais.   Claro que em certas situações as crianças acabam agindo de forma inconveniente, e nos pais não temos sangue de barata. Mas o segredo é respirar fundo, contar até dez e conversar. O dialogo pode ser a solução de todos os problemas, se você souber mostrar, instruir e até mesmo dar outras opções.

Explicar com paciência que agora a criança já não precisa da mamadeira porque já cresceu e usa seu copo que é mais divertido, ou que não precisa mamar no peito já que toma o leite no copo. Mostre que mesmo tomando no copo, ele pode ganhar o seu colo também a hora que quiser!! O contato físico faz milagres, pode acreditar!! Um colo, um cafuné e um abraço valem muito mais do que qualquer palavra para proporcionar segurança a uma criança. Mostre e demonstre sempre que puder o quanto ela é importante, tanto quanto o bebê que acabou de chegar.

Quem tem mais de dois filhos sabe bem como é difícil dividir cuidados e atenção, mas não é impossível. Mesmo que seja doado 100% do nosso tempo para os filhos, sempre nos cobraremos e vamos achar que não fazemos o melhor. Não hesite em pedir e procurar ajuda se achar necessário, um psicólogo pode auxilia-la caso a questão fuja do seu controle. Mas acredite, é somente mais uma fase do seu filho e como todas as outras, irá passar!!

Veja Também: A Regressão do Sono dos Bebês aos 4 Meses

Fotos: cherylholt, sathyatripodi