Dia desses estava lembrando da minha primeira gravidez, foi um momento muito lindo mas como sempre fui a ansiedade em pessoa e claro, na gravidez não poderia ser diferente. Estava lembrando de quando estava grávida da Joana, tinha por volta dos 21 anos e era praticamente recém casada. Morava longe da mãe a qual sou muito apegada e de toda a família, uma hora a ansiedade na gravidez iria aparecer e apareceu mesmo. Lembro que desde muito cedo eu já pensava na mala maternidade, como iria ser o parto e isso por volta do segundo trimestre. A ansiedade na gravidez me fazia pensar que gostaria de ter o bebê antes da hora. Mesmo sem ter nenhum tipo de experiência com crianças eu queria ver logo a barriga despontar, queria ter o bebê, queria queria… isso me fez muito mal e nem tinha idéia disso.

Entrei em um processo de ansiedade na gravidez que me fazia mal, tudo que eu queria era que terminasse logo os 9 meses de gravidez, queria que tudo passasse voando! Mas porquê? Estar grávida era o que eu mais queria! De certa forma é natural que isso aconteça, mas pensamentos ruins me passavam pela cabeça, eu tinha pesadelos terríveis e sensação que iria sufocar! Cheguei a acordar o marido no meio da noite por simplesmente não conseguir dormir com medo, medo? Medo de que? Medo que a minha filha nascesse deformada, medo de que eu não desse conta de cuidar do bebê depois do parto, medo do parto, medo de ficar em casa sozinha e entrar em trabalho de parto… Tinha medo até da minha sombra!

Cheguei em um estágio em que o médico teve que intervir me aconselhando a psicólogo que me acalmou dizendo que tudo isso era normal. Era um problema que várias gestantes passavam, o temido estágio de ansiedade na gravidez que vem de um estágio mais leve mesmo antes da gestação começar. Mas o que fazer então nesses casos de ansiedade na gravidez? A grande parte do tratamento da ansiedade na gravidez é terapêutico, um psicólogo é o melhor amigo da gestante em casos mais leves de ansiedade. Confesso que o simples fato de ter com quem me abrir, alguém que entendesse as minhas neuroses de grávida me confortava e muito! Ela me ouvia e com todo amor do mundo me explicava, orientava e eu me passei a me sentir melhor. Olha, se não fosse esse tratamento de terapia, não sei o que seria de mim no parto da Joana, já que houveram algumas intercorrências, você pode ver o relato de parto da Joana aqui.

Como Diagnosticar e tratar a ansiedade durante a gravidez

Alguns casos mais severos de ansiedade na gravidez tem que ser tratados com medicamentos. O médico irá pesar o beneficio x risco de antidepressivos e ansiolíticos (raramente) para ajudar a gestante nessa fase. A decisão de tratar com medicamentos mais fortes como fluoxetina e derivados devem ser tomada em conjunto pelo ginecologista que acompanha a gestante e também de um psiquiatra. Há indícios que uma ansiedade elevada ao extremo na gravidez possa trazer malefícios como a restrição de crescimento do bebê se não tratada a tempo, isso porque a descarga de adrenalina pode acabar interferindo no seu crescimento. Dizem os antigos “Desejar o nascimento prematuro é pedir para acontecer”, não sei se tem haver mas foi o que aconteceu comigo, eu queria tanto que ela viesse antes do tempo que acabou acontecendo! Tive um parto prematuro, com 35 semanas e cheio de sofrimento para ela e para mim também.

ansiedade na gravidez tempo que não passa 2

Gravidez Dudu 14 Semanas

Com as outras gestações foi diferente, na segunda particularmente me sentia calma e foi muito tranquilo. Na terceira gravidez foi mais preocupante pela ansiedade que sentia, não como da primeira vez, mas ainda sim ela estava lá. Acredito que seja pelo fato de estar com a pressão elevada e com risco de pré eclampsia. A minha pressão não era das melhores mas não sabia se era pela ansiedade ou era fisiológico mesmo. Talvez uma coisa levasse a outra, eu me sentia mal e ai a pressão subia, talvez fosse isso. O fato é que consegui passar pela gestação sem ter que tomar nenhum medicamento para ansiedade mas mesmo assim meu humor variava bastante. Parecia uma pessoa bipolar, alias nós gravidas somos assim! Culpa da montanha russa hormonal.

Ansiedade na gravidez é muito comum, mas como saber que a a ansiedade esta começando a passar dos limites aceitáveis? Cabe a gestante prestar atenção aos sintomas:

Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
Grávida 4 anos depois do 1°!
"Lutei quase 4 anos para engravidar de novo! Saiba o que mudou a minha história." (Alyne, grávida de 4 meses)
Saiba mais!
  • Agitação sem motivo aparente
  • Sudorese
  • Tremor
  • Formigamento
  • Perda do controle
  • Choro extremo
  • Pensamentos negativos que são uma ameaça eminente

Quando todos ou três desses sintomas aparecem mais do que uma vez ao mês é sinal de que algo não anda bem. Os sonhos são comuns, porém se chega ao ponto de te incomodar a melhor coisa é procurar um psicólogo para conversar sobre o assunto. O que te aflige na gravidez? Quais são os seus medos? Certamente um psicólogo irá ajudar a tirar o que muitas vezes são medos sem fundamento da cabeça da gestante. Um risco que só quem passa pela crise de ansiedade na gravidez sabe o que é e como é. Maridos de gestantes são pessoas que convivem de perto com a ansiedade e nesse momento delicado devem ter consciência que não é fácil, dando do ponto de vista hormonal como psicológico e apoiar é fundamental. Ansiedade na gravidez não é frescura!

Fui uma gestante ansiosa e digo com toda a experiência que tive, não negue a sua condição, ajuda é a melhor coisa quando nos sentimos frágeis. A gestação é uma fase muito linda, deve ser vivida plenamente, mas como tudo que é novo e desconhecido pode trazer alguns medos que podem sair do controle.

Faça do seu médico o seu melhor amigo na gravidez!

Veja também: Do Positivo ao Relato de Parto Melissa – Risco de Pré Eclampsia

Fotos: Acervo Pessoal