Olá, meu nome é Regiane tenho 32 anos e trabalho na área de segurança e estou na terceira gestação, estou com 29 semanas aguardando ansiosamente a chegada da Rebeca.Bom primeiramente, quero dizer que li cada relato de parto aqui do site e chorei em cada um deles e gostaria de compartilhar as minhas experiências.

Estou no 2° casamento e tive duas filhas no primeiro casamento.No dia 07/04/2004, grávida da Lethicia já com 38 semanas porém sem nenhum sinal de trabalho de parto, amanheci com febre e então fui ao hospital chegando lá por volta das 12:00 hrs. Passei a tarde fazendo exames e então a notícia inesperada que pegou-me desprevenida, por volta das 18:00 hrs o médico me disse: Vamos internar você. Fiquei em pânico pois  estava com apenas 2 cm de dilatação porém sem trabalho de parto ativo. Minha mãe juntamente com meu ex marido também surpresos, pegaram os meus pertences pessoais e ali nos despedimos.Minha mãe com o ar assustado então perguntou a enfermeira porque que estavam me internando, se estava tudo bem com a bebê, foi aí que descobri que a febre estava afetando ela e eu iria pra um parto induzido!

Eu nunca quis uma cesárea, sempre fui a favor do parto normal. e no hospital fui muito bem recepcionada pelas estagiárias que me presentearam com massagens nas costas.E ali eu via mulheres gemendo, gritando, e indo pra sala de parto enquanto que eu já a essa altura sendo medicada provavelmente com ocitocina, mas eu nem tinha ideia do que estaria por vir, até então estava tranquila. O que me incomodava é que a todo instante vinha um e outro fazer o exame de toque, faltou só a faxineira fazer o toque em mim, até que uma médica chegou em mim e decidiu romper a minha bolsa.

Dali pra frente não demorou muito pras dores começarem a apertarem e por volta das  22:00 hrs que ouvi a médica conversando no ramal do hospital com minha mãe, dizendo pra ir pra casa descansar pois iria demorar ainda e provavelmente iria nascer só lá pras 4:00 hrs da manhã. Foi uma noite agitada, muitas mulheres parindo e acabei por ficar sozinha, e confesso que enfraqueci, pedi cesárea só que na ocasião estava só eu ali e ninguém me ouvia.Eu chorei pois não aguentava mais de tanta dor, e dizia pra mim mesma que não aguentaria até as 4:00 hrs.relato de parto regiane 1

Mas Deus ouviu o meu clamor naquele momento e enviou uma anja, uma médica que me ajudou e muito. Ela dizia pra mim fazer força quando viesse as contrações e nesse momento ela com o toque ia me ajudando a dilatar, e aquele gesto até aliviava a dor. Só sei que quando dilatei os 10 cm não havia nem maca disponível e fui levada na cama mesmo, mas por ela ser mais larga me recordo que a cama saiu batendo nas paredes todas, hoje paro e penso e acho até engraçado rsrs.

Na hora H me recordo de fazer força pra minha filha sair e a médica disse que estava fazendo a força errada e daquele jeito ela iria acabar subindo, e que teria de fazer força de cocô, daí parei por um instante pois foi um intervalo da contração, mas na hora em que a contração veio e fiz força novamente, saiu a cabeça, e forcei mais uma vez e ela já nasceu.Lembrando que foi feito a episiotomia, na hora aplicaram a anestesia local que nem senti devido a dor. Lethicia nasceu as 22:48 hrs com 48 cm e 3175 kg.Hoje paro e penso e vejo que não sofri tanto assim, pois fui internada totalmente sem dor e fiquei apenas 4:30 hrs em média em trabalho de parto, mas por outro lado, não recomendo o parto induzido pra ninguém a menos que seja realmente necessário como foi o caso, pois dói 3x mais do que um parto natural.

Dois anos e três meses depois, estava com 38 semanas de gestação da Melissa, foi no dia 02/07/2006 as 5:00 hrs da manhã que acordei com cólicas e eu sabia que ela nasceria por aqueles dias, mas como a primeira foi induzida, era como se fosse o 1° parto, totalmente leiga no assunto mas de uma coisa eu tinha certeza, eu queria parto normal e não queria sentir as dores no hospital. Passei o dia bem, fiz um almoço na casa da minha mãe juntamente com meu irmão mais velho, e de vez em quando sentia aquelas fisgadas e as cólicas mais fortinhas mas nada pra se preocupar.A noite fui a igreja tranquilamente, cheguei em casa, jantei e dormi.

Meu ex marido querendo me levar ao hospital mas eu me recusando, dizia que estava apenas com umas cólicas e que ainda era cedo pra irmos.Por volta das 3:00 hrs mais ou menos, me levantei pra fazer uma mamadeira pra minha Lethicia e então fui ao banheiro urinar e foi aonde percebi que o tampão havia saído. Decidi tomar um banho, coloquei um absorvente e voltei pra cama.Meu ex marido inconformado pois eu não queria ir ao hospital, chamou minha mãe e explicou a situação, e ela não se tardou a chegar em casa e insistiu para irmos.

Ok, fui “forçada” a ir, mas antes pedi para tirar umas fotos já que não tive o prazer de tirar foto de 9 meses da primeira.Lembro-me que eu fazia caras e bocas e minha mãe super protetora perguntava se estava tudo bem, e eu dizia: Calma mãe ainda não é a dor pra ganhar, vai demorar ainda. Cheguei no hospital em torno das 5:30 hrs da manhã, e o médico ao me examinar detectou que eu estava com 7 cm de dilatação. Obviamente que fui internada imediatamente.

Confesso que estava doendo sim mas não veio a dor que eu esperava, e então a bolsa se rompeu e o médico veio e constatou dilatação total.Atravessei de um lado do corredor para o outro em direção a sala de parto andando, a enfermeira perguntou se eu aguentava e eu disse que sim e assim foi. O médico preparou tudo, preparou a anestesia mas eu tive vontade de fazer força e assim o fiz, mais uma e ela saiu naturalmente, sem ocitocina, sem episiotomia.A enfermeira ainda disse: nossa, não deu tempo nem do médico fazer o corte em você, e me mostrou a anestesia já preparada!Confesso que doeu um pouco na hora em ele tirou a placenta mas nada do outro mundo.

Melissa nasceu no dia 03/07/2006 as 5:56 com 48 cm e 2995 kg e em seguida já fez o mecônio, e o médico ressaltou: mais um pouco e ela fazia dentro de você! Mas Deus foi comigo.No hospital inteiro, só eu havia ganhado de parto normal, todas as outras eram cesáreas e eu as ajudava muitas das vezes, pra pegar algo ou alguma coisa do chão…

Foi o parto dos sonhos e aquela dor que eu esperava realmente não veio. Meu parto foi natural por acaso, mas agora que eu já o conheço, é esse parto que quero pra mim!Não quero nenhum tipo de intervenção médica, a menos é claro que seja realmente necessário, e nem adianta virem com conversa furada que eu sei os meus limites, e nada de: Ah o cordão umbilical está enrolado no pescoço, ou algo do tipo, pois hoje tenho muito mais conhecimento.

Minha filha já virou mas eu dizia que se ela não virasse, eu iria pro parto normal pélvico, a não ser que ela estivesse atravessada, daí sem chance!Sou a favor do parto humanizado, e gostaria muito de ter minha filha em casa, mas admiro muito a coragem da mulher que o faz, pois pra isso sou meia covarde. Mas com certeza vou me segurar em casa o máximo que eu puder, sinto me mais preparada e tenho fé em Deus que  Ele irá me abençoar mais uma vez, e quando esse dia chegar, gostaria muito de relatar mais essa experiência.Espero minha princesa Rebeca e ainda pretendo ter mais um bebê pra fechar a fábrica, pois meu atual marido o deseja muito e eu também.

Ser mãe é mágico, é algo sensacional!!!

Veja também: Relato de Parto Sabrina e Wanderleia – Dois Partos Duas Histórias

Foto: Salim Fadhley