A expectativa que a gestação traz para o nascimento, é uma sensação única. Só quem já esperou por um bebê, seja do seu ventre ou do coração, sabe como é aguardar seu maior amor finalmente entrar em casa, curtir seu quarto, seu enxoval. Para aquelas que saem da maternidade com seus bebês no colo, é um desafio à parte. O nascimento é um marco verdadeiro na vida de mães e pais, porém, entre mãe e filho, é um tanto quanto particular, pois junto com o bebê, vêm uma avalanche de sentimentos, novas emoções, mesmo que não seja o primeiro filho. O bebê, um ser muito amado, mas ainda desconhecido, entra em modo de adaptação, assim como a sua família e todos ao redor. É normal e muito comum que todos programem seus dias em torno do novo membro da família, e ainda sim, em alguns momentos, parece que vai dar tudo errado, ainda mais para pais de primeira viagem.

Na maternidade tudo parece mais fácil, verdade seja dita. Porém, a chegada em casa nem sempre reflete a vivencia da mãe enquanto no hospital. Lá parece ser tudo mais fácil, o bebê ser mais “fácil”, até as mamadas são menos estressantes. Porém, uma vez em casa, a realidade pode cair no colo dos pais. O bebê que antes só chorava por fome ou fralda suja, passa a ser outra pessoinha. Chora sem parar, as duvidas de como cuidar do bebê aparecem em atacado, e as soluções em varejo. Conselhos de tantas pessoas ao redor podem inclusive confundir a nova mamãe. Porém não se desespere! Siga essas dicas de uma mamãe mais que experiente estas vão certamente ajudar de alguma forma, a facilitar a adaptação e a nova experiência da saída da maternidade e o grande evento da chegada do bebê em casa!

Como Lidar Com a Saida da Maternidade e a Chegada em Casa?

Ao chegar da maternidade, o bebê vai certamente “estranhar” o ambiente. Os sons ao redor, as vozes das visitas, o movimento que é diferente da maternidade, enfim, é literalmente outro mundo. Isso sem contar com a quantidade de visitas que está chegando em casa para conhecer o novo membro da família, e também a passagem de colo em colo, pode deixar o bebê com o corpo dolorido e então, mais choroso e chatinho. Imagine você, que antes estava dentro de um ambiente calmo, com sons abafados, ouvindo o melhor som do mundo (coração da mamãe) agora neste mundão cheio de novidades e tanta gente admirada com sua beleza? Bom, para mamães de primeira viagem (ou não), os melhores conselhos são:

  • Fazer do ambiente o mais tranquilo possível.

Como assim? E como eu faço com as visitas, com os familiares? Programe! Antes mesmo do nascimento, avise a todos, que as visitas serão feitas a partir de tal dia ou apenas com aviso prévio e consentimento. Não é falta de educação ou indelicado da parte da mãe, é apenas uma forma de prevenção para que as visitas não cheguem todas de uma só vez, e acabe atrapalhando a adaptação entre mãe e filho.

  • Disponibilidade

Tenha certeza de que terá total disponibilidade para o seu bebê. Ter tempo disponível vai facilitar a adaptação e também as mamadas. No inicio, você pode até se questionar se sua vida será somente esta, amamentar, trocar fraldas, roupinhas etc, e sim, será mesmo. Ao menos enquanto você amamentar exclusivamente e o seu bebê depender 100% de você. Melhor se acostumar com a ideia de deixar os afazeres domésticos como segundo plano pelo menos por enquanto. Aproveite e convoque a sogra, irmã, mãe, cunhadas e amigas para uma ajuda em casa, afinal, é neste momento que você precisa muito de tranquilidade e principalmente estar disponível para o bebê.

  • Estar ciente que dificuldades e imprevistos aparecerão.

Por mais que você tenha se preparado com teorias antes do nascimento, nada é como a colocar em prática. Cuidar de um recém-nascido é uma tarefa e tanto! Saiba que seus dias serão voltados para ele, e que pelo menos por um tempo, sua vida será respirar e vivenciar o mundo infantil. Não se sinta mal se por um acaso não conseguir atingir uma meta, como por exemplo, amamentar ou qualquer outro plano que tenha traçado durante a gestação ou a vida pré gestação. Rachaduras no seio, algum problema com o bebê, sustos, imprevistos, fazem parte da aventura da maternidade.

Nem sempre as coisas acontecem como pensamos, planejamos ou queremos. Também não fique achando que não será uma boa mãe porque simplesmente não teve experiência com crianças ou bebês. Parece que o instinto materno providencia qualquer necessidade, inclusive nos prepara para algo que saia errado. Ninguém tem obrigação de já no primeiro mês de vida do bebê ser a melhor mãe do mundo e nem de ter o corpo mais bonito do planeta. Viva intensamente a sua experiências sem criar uma expectativas romantizadas de um comercial de pomada para assaduras. Ser mãe é aprender a cada dia, um pouco por vez com seu bebê.

  • O bebê irá se adaptar sim!

Pode ser que você pense que nunca mais irá dormir uma noite inteira, que as mamadas serão de hora em hora, que as cólicas não irão embora nunca mais. Porém o tempo é amigo de todos nós, e conforme o bebê for crescendo, os probleminhas vão ficando mais fáceis de lidar. Vai chegar um momento em que ele irá dormir a noite toda, você conseguirá tomar um banho maior do que 30 segundos, os seios vão parar de doer e as dores do parto ou pós parto vão passar a ser uma vaga lembrança. O ritmo do bebê irá chegar o mais próximo possível ao da família em pouco tempo.

  • Permita o envolvimento do papai

Nada de deixar o papai só com a parte legal da historia. Pais parceiros querem participar e a mamãe deve dar espaço para ele. Se ele tem medo ou não quer muito participar, diga a ele que é muito importante que ele se envolva. Deixe o bebê com ele e tire um cochilo! Se ele quer dar banho, permita, trocar fraldas, idem. Participar é fundamental.

  • Filtre os comentários

Nem todos os conselhos que se ouvem nesta fase da vida, são o que gostaríamos de ouvir. Portanto aprenda a filtrar e não levar em consideração certas “criticas”. Por mais absurdo que possam ser, esses conselhos são para tentar ajudar, apenas guarde o que te acrescenta e descarte o que não bate com a forma que escolheu para cuidar do bebê.

Enfim, aproveite muito este momento. Por mais que tiver outros filhos, cada um é único e a adaptação será exatamente assim, única. Viva intensamente e tire muitas fotos, os bebês mudam muito desde que nascem, e, ao final do primeiro mês, já será outro bebê complemente diferente.

Veja também: Visitas ao Recém Nascido – Manual Básico de Etiqueta

Fotos: Scott SM