Sexo é bom, maravilhoso e move a vida de muita gente! Claro que a gravidez se consegue através desse meio e um casal para conviver apaixonadamente tem que ter uma vida intima ativa e compatível. Mas e quando o período que a mulher está vivendo necessita de que resguarde a parte sexual? Como o marido influência nesta quebra de repouso onde é preciso dar um tempo da vida sexual para um restabelecimento pleno de sua saúde? Pois é, o sexo na quarentena tem muita influência dos maridos e companheiros você sabia?

sexo na quarentenaO pós parto é um momento delicadíssimo, as mulheres tem na gravidez, muitas alterações corporais. O útero por exemplo, sofre uma mudança radical de 1.000%. Ele cresce 45 vezes o seu tamanho original e abrigou um bebê por nove meses. Onde ficou alojada a placenta na parede uterina para alimentar e nutrir o bebê, fica uma ferida que precisa cicatrizar e por isso o a quarentena existe. Esse é um prazo mínimo que o corpo da mulher precisa de descanso para voltar ao quase o que era antes da gestação. Ai que entra a quebra de resguardo e o sexo na quarentena que pode trazer dor de cabeça para a mulher em vários aspectos.

Veja, mesmo se está se sentindo bem, sexo na quarentena deve ser evitado. Houve relatos de relação sexual após o parto assim que a mãe foi para casa da maternidade. Embora tivesse sido um parto normal se epsiotomia e sem nenhuma laceração vaginal de passagem, o período de restabelecimento deve ser respeitado sim pela mulher, mas acima de tudo pelo companheiro que acaba forçando a barra em diversos casos de pós-parto. Imaginem se acontece algum imprevisto na relação como uma hemorragia uterina por exemplo?

Há casos em que o sexo é abolido da vida do casal durante a gravidez por precaução em casos de gravidezes complicadas e a vontade poderia partir de ambas as partes. Mas a decisão do companheiro em topar o sexo na quarentena pesa e muito na decisão da mulher. Se a vontade é maior do que a importância do repouso sexual, então tem outras formas de matar o desejo do casal que não seja apenas penetração em qualquer orifício corporal que seja da cintura para baixo. Usar a criatividade é fundamental, mas sempre com cautela para não haver sequelas e acabar machucando a companheira.

Quais as Consequências do Sexo na Quarentena?

Claro que nem todos são apressados e querem que o playgroud seja liberado antes do prazo, mas a influência que a pressão pelo sexo tem na vida do casal pode acabar precipitando as coisas. Um marido que insiste para que a mulher tenha sexo completo com ele antes dos 20 dias de repouso, pode vir a causar consequências que nem ele sabe que possam acontecer. A principal delas é a infecção. Em casos de cesarianas, ainda mais riscos para a mulher pois, existem ali os pontos internos. Imagine que são sete camadas de pele e tecidos a serem costurados e cicatrizados? Pouco tempo pela complexidade da situação não é mesmo? Abrir os pontos é uma realidade frequente quando não tem ao menos alguns dias de repouso.

Outra consequência pouco pensada é a possibilidade de gravidez no sexo na quarentena. Pense comigo, se você tem um bebê de 20 dias, iria querer engravidar tão rapidamente? Embora seja pouco provável pelo frescor do parto, é possível que a mulher ainda na recuperação do parto, tenha um momento de fertilidade. Por isso defendo o resguardo mas, se pensa em quebra-lo com sexo na quarentena, então que seja com precauções devidamente tomadas. Camisinha, preservativo e anticoncepcional são fundamentais! O coito interrompido não é a melhor forma de prevenir a gravidez tão pouco à preocupação que possa vir a assolar a parturiente depois do ato sexual. O peso na consciência vem depois que a vontade passa e aí pode se tornar um fantasma durante todo o período em que a menstruação não aparece. Muitas vezes leva até meses sem dar as caras já que quem amamenta teria menos menstruação ou nenhuma.

Quando a mulher precisa se resguardar, a pressão para o sexo na quarentena por parte do marido não ajuda em nada a recuperação. As “obrigações” conjugais podem passar a ser motivo para brigas e discórdias entre o casal e por isso conversar muito sobre esse período poderia acalmar os ânimos. Também é aconselhável que o marido insistente converse com o obstetra sobre a importância de guardar os dias de pós-parto, nem que para isso a mulher tenha que conversar com o medico antes e pedir que ele dê orientações para o seu marido quando esse a acompanhar na consulta pré natal. Caso ele seja do tipo machão que não dá o braço a torcer e não acompanhe à nenhuma consulta, então peça a uma pessoa influente falar discretamente sobre o assunto na presença dele.

Como disse, existem várias outras maneiras de satisfazer um casal sexualmente que não a penetração, ouse, crie e invente se a vontade for muito grande, mas evite causar problemas referente ao corpo e preocupações de uma possível nova gravidez. Todo cuidado é pouco.

Veja também: Sexo e Gravidez – Sem Tabu e sem Medos

Foto: Rachel K