Alguns distúrbios psiquiátricos são característicos da infância e podem ser notados desde os primeiros anos de vida. Uns são perceptíveis por refletirem em algum sinal externo, já outros são mais contidos e difíceis de captar, passando muitas vezes até despercebidos. A síndrome de Tourette é um desses distúrbios que atingem crianças e adolescentes com até 18 anos de idade.

O termo “tique nervoso” é mais comum, já ouvimos falar e muito provavelmente em algum momento nós mesmos já nomeamos algum movimento repetitivo como tique. Mas existe diferença entre tiques, TOC e manias da Síndrome de Tourette, que engloba algumas manifestações que incluem tiques múltiplos, motores e vocais.

Descoberta da Síndrome

A síndrome de Tourette, nominada cientificamente como Síndrome de la Tourette, foi descrita pela primeira vez pelo médico francês Jean Itard em 1825, mas apenas anos mais tarde, em 1885, Gilles de la Tourette quem apurou mais de 5 casos de pacientes diagnosticados com esta síndrome, que posteriormente, como homenagem, foi batizada com o seu nome.

Infelizmente portadores de Tourette ou de outras síndromes, dependendo do grau da doença, sofrem preconceitos o que naturalmente prejudica seu convívio social, por isso é de extrema importância procurar um especialista para iniciar o tratamento o mais cedo possível, pois apenar de síndromes como a Tourette não ter cura, é possível tratar e controlar os movimentos involuntários.

Veja a seguir informações mais detalhadas sobre as características, sintomas e tratamento desta síndrome que afeta cerca de 0,4 a 3,8% das crianças entre 5 e 18 anos de idade.

Características da Síndrome de Tourette

A síndrome de Tourette é um distúrbio neuropsiquiátrico que se manifesta ainda na infância, apresenta múltiplos tiques, motores e vocais, que geralmente persistem por mais de um ano.

Na maioria dos casos os sintomas amenizam muito na fase adulta, apenas os casos crônicos, que é a minoria, podem ser mais difíceis de controlar mesmo com o passar dos anos.

Com as informações da doença mais disseminadas pelos especialistas, naturalmente os casos diagnosticados com Tourette tem crescido na última década como também diversos tratamentos estão sendo apontados com o índice de sucesso bastante satisfatório, com grandes possibilidades de reabilitação.

Os pacientes com Tourette apresentam tiques motores somados com tiques vocais, manifestados de diversas maneiras. Todos os movimentos são realizados involuntariamente e com uma certa frequência e são realmente incontroláveis.
Portanto se perceber qualquer tique ou sintoma que acuse algum distúrbio psicomotor, procure um médico imediatamente para uma diagnóstico preciso e indicação de tratamentos mais eficazes.

Principais Sintomas

Os pacientes com síndrome de Tourette apresentam inicialmente, na maioria dos casos, tiques motores como piscar, contrair a musculatura da face, balançar a cabeça, contrair bruscamente os músculos do abdômen ou músculos de outras regiões e até mesmo movimentos mais complexos, como tocar ou bater em objetos que estejam próximos, somados com tiques vocais como tossir, fungar e a emissão total ou parcial de algumas palavras.

Costumam também apresentam outros sintomas além de tiques, como compulsões, obsessões, déficit de atenção, impulsividade, dificuldade do aprendizado, disfluência verbal (gagueira), labilidade de humor, irritabilidade, automutilação, ansiedade, depressão, autismo, dificuldade de relacionamento com pares além de comportamento agressivo e alteração no perfil do sono.

Em casos mais raros, portadores da Síndrome de Tourette pronunciam de forma involuntária palavras obscenas (coprolalia) e gestos obscenos (copropraxia), além de expressões de insultos, repetição de palavras ou frases ditas por outra pessoa (ecolalia). Nestes casos extremos o convívio social fica mais afetado e requer maiores cuidados.

Diagnóstico da Síndrome de Tourette

O diagnóstico da Síndrome de Tourette é feito apenas com por análise clínica. Alguns fatores são avaliados para a confirmação da doença e para isso os pais serão questionados sobre o comportamento da criança no cotidiano, contribuindo com informações relevantes e essenciais para um posicionamento assertivo.

Avaliações

Veja quais são as questões mais relevantes e se notar qualquer um destes sintomas no comportamento do seu filho, não deixe de consultar um especialista.

  • É avaliado se existe a presença durante a síndrome de tiques motores múltiplos além de um ou mais tiques vocais, mesmo que não sejam simultâneos.
  • É verificado a frequência da manifestação dos tiques. Se ocorre quase que diariamente ou intermitentemente, por um período maior que um ano;
  • É preciso entender se o tique varia a localização anatômica com o passar do tempo.
  • É avaliado também a quantidade, frequência, complexidade, tipo e gravidade dos tiques.
  • Quando foi notado o início de algum tipo de tique motor ou vocal
  • E por fim, checar se existe qualquer outra doença ou motivação que provoque os movimentos ou vocalizações involuntárias.

Tratamento da Síndrome de Tourette

Ainda não existe cura para essa síndrome, mas com os tratamentos disponíveis é possível manter as crises controladas. Além de medicações específicas que diminuem a intensidade dos tiques, pesquisas apontam que a terapia comportamental cognitiva, chamada também de tratamento de reversão de hábitos tem sido extremamente importante para a obtenção de resultados satisfatórios.

O tratamento terapêutico baseia-se no treinamento dos pacientes para monitorem suas sensações premonitórias aos tiques, com o objetivo de responderem com um outro movimento físico, mas voluntário, incompatível com o tique.

O tratamento adequado será relativo ao grau de intensidade dos sintomas, ao impacto na autoestima e aceitação social do portador da síndrome e ainda, quando o paciente é criança, é necessária ainda mais cautela na avaliação.

Checar a interferência que os tiques estão exercendo no desenvolvimento normal da criança e prezar a execução natural das tarefas cotidianas da melhor forma possível são as prioridades do tratamento médico. Fazer algum tipo de tratamento será uma decisão tomada pelos pais em conjunto com o médico.

Muitas crianças portadoras da síndrome de Tourette nem passam por tratamentos, porque seus sintomas são leves e não chegam a causar nenhum prejuízo para sua rotina diária e principalmente para o seu desenvolvimento. Nestes casos, o médico pode apenas acompanhar por longo tempo o paciente, fazendo um monitoramento da evolução da doença até entender que algum tratamento se faz necessário.

Os pais de crianças portadoras da síndrome de Tourette tem papel importantíssimo para a melhora do quadro. Conversar muito com as crianças, ser paciente e sobretudo jamais criticar suas deficiências e sim estimular sua autoestima e segurança faz toda a diferença e os ajuda muito a enfrentar o preconceito e vencer qualquer barreira!

Veja Também: O que é Síndrome de Asperger?
Foto: Pezibear