O corpo precisa de ferro para criar hemoglobina, que é uma proteína presente nos glóbulos vermelhos do sangue. A hemoglobina é responsável por transportar o oxigênio, levando-o dos pulmões aos tecidos de todo o corpo.

Sem hemoglobina, o corpo deixará de produzir glóbulos vermelhos saudáveis. Sem ferro suficiente, os músculos, tecidos e células do bebê não receberão o oxigênio que eles precisam.

Bebês a Termo

Os bebês saudáveis a termo recebem ferro suficiente de suas mães no terceiro trimestre de gestação, e essa reserva dura os primeiros seis meses de vida. No entanto, o leite materno contém pouco ferro, por isso, o suplemento de ferro para bebês geralmente é feito aos 6 meses de idade no caso de bebês amamentados exclusivamente e, aos 4 meses, se ele tem como base alimentar o leite artificial.

Indicação do Suplemento de Ferro

O suplemento de ferro para bebê previne a anemia fisiológica que pode ocorrer após os 6 meses, quando alimentos sólidos são incorporados na dieta e a reserva de ferro diminui. Porém bebês amamentados exclusivamente tem menores chances de desenvolver uma anemia por falta de ferro.

Deficiência de Ferro

A deficiência de ferro pode, além de dificultar o crescimento do bebê, também causar:

  • Taquicardia
  • Falta de ar
  • Falta de apetite
  • Alteração do sono
  • Mucosas das pálpebras e gengivas descoradas
  • Palidez
  • Distúrbios do crescimento
  • Problemas de aprendizagem e comportamentais
  • Retraimento social
  • Habilidades motoras atrasadas
  • Fraqueza muscular

O ferro também é importante para o sistema imunológico, portanto, não fazer o suplemento de ferro para bebês, pode levar a mais infecções, mais resfriados e mais ataques de gripe.

Que Bebês São Mais Suscetíveis À Anemia?

A anemia é um estado de fragilidade e debilitação do sistema imunológico. Algumas pessoas já nascem com maior probabilidade de sofrer com o problema ao longo da sua vida, são elas:

  • Bebês que nasceram prematuramente – uma vez que os bebês recebem a maioria das reservas de ferro da mãe durante o último trimestre da gravidez.
  • Bebês nascidos abaixo do peso – tendem a ter reservas de ferro reduzidas no nascimento e parecem precisar de ferro adicional mais cedo.
  • Bebês nascidos de mães com anemia ou diabetes – os bebês nascidos de mães que eram anêmicas durante a gravidez podem ter a reserva de ferro mais baixa, no entanto, estudos médicos mostraram que isso não é verdade. Os bebês nascidos de mães que são anêmicas durante a gravidez não são mais propensos a ser deficientes em ferro do que aqueles nascidos de mães que não tiveram anemia durante a gravidez.
  • Bebês que começaram a introdução alimentar antes dos 6 meses – uma pesquisa concluiu que os bebês que eram amamentados exclusivamente por 6 meses (sem adição de qualquer outro alimento durante esse tempo) apresentaram níveis significativamente maiores de hemoglobina em um ano do que bebês amamentados no peito, mas que receberam alimentos sólidos antes de seis meses.
  • Bebês que consomem leite de vaca e laticínios durante o primeiro ano de vida – o cálcio contido no leite de vaca e em seus derivados inibem a absorção do ferro.

Conversando com o Pediatra

É importante destacar que, apesar dos pediatras seguirem o protocolo de inserir o suplemento de ferro para bebês, quando ele completa seis meses, é necessário descobrir se realmente é preciso fazer essa suplementação.

Para saber se é preciso o suplemento de ferro para bebês, o pediatra deverá realizar um exame físico para verificar se há algum sinal de deficiência. Pode solicitar também um exame de sangue para verificar como estão os níveis de hemoglobina nos glóbulos vermelhos.

Mas, nem sempre o médico dispensa atenção suficiente para essas preocupações, receitando a suplementação porque é de praxe. O que torna o suplemento de ferro muitas vezes perigoso para crianças com níveis normais de ferro no organismo.

O depósito de ferro nos tecidos orgânicos, em razão do seu excesso, principalmente no fígado, pâncreas, e coração, pode progressivamente prejudicar suas funções.

Como é Feita a Suplementação de Ferro Para Bebês?

Depois de feitos os exames que diagnosticam a carência de ferro, o pediatra pode recomendar o suplemento de ferro para bebês em forma líquida, que é feita a contagem da dosagem em gotas.

Quanto De Ferro Meu Filho Precisa?

Durante os dois primeiros anos de vida, as crianças experimentam um crescimento muito rápido e que consomem suas reservas de ferro. Os requisitos diários recomendados para o ferro variam de acordo com a idade:

  • De 0 a 6 meses: 0,27 miligramas por dia
  • De 7 a 12 meses: 11 miligramas por dia
  • 1 a 3 anos: 7 miligramas por dia
  • 4 a 8 anos: 10 miligramas por dia
  • 9 a 13 anos: 8 miligramas por dia

Como Aumentar a Absorção de Ferro do Bebê?

Utilizar junto com o ferro o ácido ascórbico (vitamina C) vai permitir maior absorção do ferro. Para isso o pediatra irá receitar vitamina C em gotas que pode ser facilmente substituída por um suco de laranja ou outra fruta que tenha níveis elevados de ácido ascórbico.

Já o ferro presente nos alimentos de origem animal (gema, carnes) não precisa de nada para ser absorvido, porém não se aconselha oferecer mais do que 20g de carne para o bebê por dia e por isso não se consegue oferecer uma grande quantidade de Ferro animal.

Quais Outras Fontes de Ferro?

Os bebês e as crianças devem obter o ferro e outras vitaminas através de uma dieta equilibrada e saudável. Eles provavelmente não precisarão de um suplemento se comerem alimentos ricos em ferro suficientes. Exemplos de alimentos com alto teor de ferro:

  • Carnes vermelhas, incluindo carne bovina, e fígado
  • Peru e frango
  • Peixe
  • Cereais fortificados, incluindo aveia
  • Vegetais de folhas verde escuro como couve, agrião, brócolis e espinafre
  • Feijões
  • Ameixas secas
  • Ovos

Quantidade de Ferro de Alguns Alimentos :

  • Lentilha cozida: 2.44 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Salsa: 3,1 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Gema de ovo cozida: 4,85 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Batata doce: 1.38 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Alho poró 0.7 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Vitela magra: 2.4 mg de Fe por 100g do alimento
  • Frango: 2 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Cordeiro magro: 2,2 mg de Fe por 100g do alimento
  • Caldo do feijão vermelho:7,1 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Mamão: 0,8 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Pêssego amarelo: 2,13 mg de Fe por 100g do alimento;
  • Agrião: 2,6 mg de Fe por 100g do alimento.

Efeitos Colaterais do Suplemento de Ferro

Os suplementos de ferro podem causar alterações no estômago, fezes escuras e constipação. Eles são melhores absorvidos se forem ingeridos com o estômago vazio antes de uma refeição. Eventualmente, o suplemento de ferro para bebês pode causar perturbações no estômago, por isso administrar depois de uma refeição pode ajudar.

A ingestão excessiva de ferro pode levar a sérios problemas de saúde, então, nunca dê suplementos de ferro para o bebê sem antes consultar um médico.
Segundo o National Institutes of Health, a ingestão acidental de suplementos de ferro causou quase um terço das mortes por intoxicação acidental em crianças nos Estados Unidos nos últimos anos.

Sinais de Overdose de Ferro

  • Vômito grave
  • Diarreia
  • Pele e unhas com palidez excessiva ou azuladas
  • Fraqueza

Uma overdose de ferro é uma emergência médica. Ligue para o Centro de Controle de Intoxicação imediatamente caso ache que seu filho sofreu uma superdosagem de ferro.

Que Precauções Devo Seguir?

Ao dar suplemento de ferro para bebês ou crianças, siga estas precauções para se certificar de que seu filho estará seguro:

  • Siga todas as instruções do pediatra e, se não tiver certeza de algo, é importante conversar novamente com o médico.
  • Certifique-se de que todos os suplementos estão fora do alcance das crianças para que não as confundam com doces. Coloque os suplementos na prateleira mais alta, de preferência em um armário trancado.
  • Certifique-se de que o suplemento esteja rotulado em um recipiente com uma tampa resistente à criança.
  • Evite dar ao seu filho ferro com leite ou bebidas com cafeína (como refrigerantes de cola), pois isso impedirá que o ferro seja absorvido.
  • Peça ao seu filho que tome os suplementos durante o tempo que o médico recomenda. Pode levar mais de seis meses para recuperar os níveis de ferro no normal.

Nota da autora:

Quando meu primeiro filho completou seis meses, a pediatra prescreveu o suplemento de ferro, juntamente com a vitamina C. Durante os seis meses seguintes, administrei o suplemento religiosamente todos os dias no horário do banho.

Para mim era mais fácil, pois as gotinhas marrons quando caiam na roupinha dele manchavam e não tinha o que fazer para retirá-las. Então a solução mais cômoda era dar com ele na banheira.

Após os 6 meses de medicamento, notei que meu filho tinha a pele pálida e algumas manchinhas roxas na pele. No consultório, a médica pediu um hemograma completo, no qual foi descoberta uma anemia.

Novamente o suplemento foi prescrito, juntamente com uma dieta com doses exageradas de beterraba, feijão e carnes vermelhas. Mais 6 meses repetimos o hemograma e a anemia ainda estava lá.

Já aflita, solicitei um encaminhamento ao hematologista, que pediu exames específicos de ferritina e eletroferese de hemoglobina que detectou que sua anemia não era ferropriva e sim uma anemia hereditária chamada Talassemia.

Após o diagnóstico a preocupação: a própria doença já traria um acumulo de ferro em seu organismo, e, durante um ano foi administrado o suplemento de ferro em doses gigantescas a qual poderia gerar uma doença chamada de Hemocromatose adquirida.

Porém, com sorte, não houve complicações, mas o hematologista foi categórico em dizer que os pais devem ter cautela em administrar o suplemento de ferro em seus filhos.

O correto é pedir ao pediatra exames que realmente detectem essa necessidade. Meu filho ainda tem a anemia, e terá pelo resto de sua vida, precisa fazer exames periódicos e cuidar da quantidade de ferro que ingere, além do uso diário de medicamento. Mas é uma criança normal como todas as outras. O suplemento de ferro para bebês é necessário e muito importante se utilizado da maneira correta e quando realmente necessário.

Veja Também: Anemia Infantil – Como Combatê-La?
Fotos: RitaE