Vida de mulher não é nada fácil! Além de lidar com toda transformação do corpo no decorrer da vida, ainda enfrenta as alterações, desconfortos e várias surpresinhas que podem vir acontecer a cada ciclo menstrual. Mudanças de secreções, cheiros, corrimentos com cores diferentes e desconfortos vaginais que podem ser ocasionados por diversos fatores. Neste artigo, iremos falar sobre um problema muito recorrente na vida das mulheres, mais que ainda causa muitas dúvidas, a vaginose bacteriana.

O que é Vaginose Bacteriana

A vaginose bacteriana é uma infecção que ocorre na vagina devido a proliferação em excesso de bactérias, normalmente Gardnerella mobiluncos e a Gardinerella Vaginalis no canal vaginal. Sua ocorrência é acompanhada de sintomas bem incômodos e característicos como coceira intensa, desconforto na hora de urinar, queimação na área vaginal, mal cheiro e a presença de um corrimento de cor branca e textura pastosa, em alguns casos acinzentada ou amarelada.

Mesmo sendo uma infecção vaginal, a vaginose bacteriana não é considerada uma DST. Na verdade, ela é uma alteração na flora vaginal, o que provoca uma redução na quantidade de lactobacilos presentes na área e desencadeia a proliferação dessas bactérias. Mesmo causando grandes desconfortos e os sintomas serem muito desagradáveis, a vaginose bacteriana pode ser facilmente tratada, sob orientação de um ginecologista.

Sintomas da Vaginose Bacteriana

Como já citamos, a vaginose bacteriana provoca sintomas bem característicos e desconfortáveis para a mulher. Como pode apresentar um sintoma ou outro e um corrimento com coloração diferenciada, deve ser confirmado o diagnóstico através de consulta ginecológica. Entre os principais sintomas estão:

  • Corrimento pastoso de cor branca, amarela, esverdeado ou acinzentada;
  • Mal cheiro parecido com de peixe podre;
  • Coceira intensa na vulva e área vaginal;
  • Sensação de queimação ao fazer xixi

Normalmente esses sintomas são mais evidentes logo após as relações sexuais ou ao chegar ao fim do período menstrual. Algumas mulheres podem estar sofrendo com o problema e nem ter conhecimento pela ausência de sintomas e sinais da infecção.

Causas da Vaginose Bacteriana

Muitas mulheres acreditam que a vaginose bacteriana está relacionada a falta de higiene vaginal e no entanto, qualquer mulher está suscetível a sofrer com a infecção. Obviamente, algumas estão na lista de maior risco e por isso é importante alertamos sobre as principais causas.

Mulheres com muitos parceiros sexuais, que tem o costume de fazer ducha vaginal constantemente e que utilizam produtos de higiene intima que podem provocar a alteração da flora vaginal tem maiores chances de sofrer com a vaginose bacteriana. O recomendado é que seja utilizado produtos indicados para a área vaginal ou sabonetes neutros. Calcinhas de algodão são as mais indicadas para a saúde intima, por facilitar a transpiração da área.

Como Diagnosticar?

Normalmente o diagnóstico da vaginose bacteriana ocorre após exame preventivo ginecológico, o papanicolau. Mas pode ser também verificado após solicitação do ginecologista após ser relatado queixas de sintomas da paciente. Em alguns casos, a vaginose bacteriana pode ser totalmente assintomática, dificultando o diagnóstico. Nesses casos, somente um exame laboratorial de papanicolau para constatar a presença da infecção.

Os principais sintomas da vaginose bacteriana a serem considerados pelo ginecologista para suspeitar da infecção são: mau cheiro parecido com o de peixe, grande quantidade de corrimento branco, amarelo ou esverdeado bem homogêneo e pH vaginal > 4,5. Muitas pessoas confundem a vaginose bacteriana com a famosa candidíase, por isso vamos esclarecer as diferenças.

Diferença Entre Vaginose Bacteriana e Candidíase

É muito comum as infecções vaginais serem confundidas, principalmente a vaginose bacteriana e candidíase, já que se tratam de um forte corrimento em abundancia em grande maioria dos casos esbranquiçado e com forte cheiro diferenciado. Ambos possuem sua origem o desiquilíbrio da flora vaginal, alterando o pH da vagina. Mas mesmo se tratando de infecções parecidas, são necessários tratamentos completamente diferenciados para combatelas, por isso é tão importante ter certeza do que está ocorrendo de fato.

A candidíase é uma infecção ocasionada por fungos chamados de Candida Albicans e provocam uma coceira intensa na área da vagina, além de corrimento abundante branco, além de um forte cheiro bem característico, parecido ao produto de limpeza cândida. Já a vaginose bacteriana, também causada por bactérias chamada Gardnerella Vaginallis, provoca grande coceira na área da vagina, incômodo ao urinar e um corrimento abundante que pode ser branco, acinzentado ou esverdeado.

Esse mau cheiro pode causar preocupação as mulheres e acharem que é devido à má higienização, mas acredite não é! E se tentar utilizar outros produtos e até duchas vaginais para lavar o cheiro na tentativa de amenizar, só irá agravar ainda mais a situação.

Como se trata de fundos e bactérias completamente distintos, a candidíase é tratada através de antifúngicos orais, pomadas ou cremes indicados pelo ginecologista e a vaginose bacteriana por ser uma infecção mais potente, com o uso de antibióticos.

Aproveitando o espaço, quero contar uma novidade para nossas leitoras mamães e que pensam em ter outro bebê futuramente, ou até mesmo que tenha uma amiga que esteja tentando engravidar. Em parceria com a empresa Famivita, desenvolvemos uma linha de produtos especializados para a saúde e fertilidade. Entre eles temos vitaminas da fertilidade da mulher FamiFerti, vitamina para fertilidade do homem ViriFerti, testes de ovulação e o gel lubrificante amigo da fertilidade FamiGel, que faz o papel do muco, aumentando a mobilidade dos espermatozoides além de aumentar o prazer. Você pode encontrar cada um desses produtos aqui em nossa loja virtual.

Como Evitar a Vaginose Bacteriana?

Como já citamos, a vaginose bacteriana pode ocorrer em qualquer mulher, principalmente em mulheres em idade fértil e não é por falta de higiene. Pelo contrário, o excesso de higiene pode ser uma das principais causas, por provocar a alteração na flora vaginal. Por isso, uma das primeiras recomendações de como evitar a vaginose bacteriana é o de não fazer duchas vaginais.
O número de parceiros sexuais também é uma grande influência para o surgimento da vaginose bacteriana e de demais infecções vaginais, por isso, utilize preservativo em todas as relações sexuais e restrinja o número de parceiros.

A Vaginose Bacteriana Oferece Riscos?

Como qualquer infecção existem riscos e por isso é necessário o tratamento adequado. Normalmente a vaginose bacteriana não causa complicações graves, mas caso a mulher esteja com imunidade baixa a infecção pode se manifestar no útero e trompas, causando uma DIP (doença inflamatória pélvica) ou até mesmo aumentar os riscos de contrair doenças sexualmente transmissíveis como a gonorreia e clamídia. No caso de mulheres grávidas, a vaginose bacteriana pode provocar parto prematuro ou atingir o desenvolvimento do bebê, ocasionando o nascimento de um bebê com baixo peso.
Foto: Belly Button