Assim que o óvulo é fecundado pelo espermatozoide, começa ali a formação de uma nova vida. Junto com essa nova condição, vários outros órgãos provisórios também começam a se formar e um deles é a vesícula vitelina ou vitelínica. A vesícula vitelina é crucial para a boa formação do embrião durante as primeiras semanas de gravidez. Mas você sabe o que é a vesícula vitelina e o que ela faz? E qual o papel dela na formação do bebê e até quando ela fica disponível? Vamos, então, descobrir!

Como se forma?

Com a fecundação do óvulo e a formação de um novo núcleo de células, o zigoto vai em direção ao útero. No caminho, a multiplicação celular se dá de forma rápida, se dividindo cada vez mais e mais. Ao chegar à cavidade uterina, o maço celular recém-formado se divide novamente, desta vez em 2 partes.

Uma delas será o bebê e a outra parte será o suporte que essa nova vida terá durante a gravidez. A segunda parte se fixará no útero, se acomodará e criará uma espécie de raiz para retirar do endométrio todo sangue necessário para a vascularização inicial do bebê.

A implantação é uma fase delicada epode causar dores fracas e até sangramento; porém, também é possível que não se sinta nada anormal. Quando a implantação acontece, o desenvolvimento acelera. O que será o bebê começa a se formar de forma acelerada, dando origem ao tubo neural. Enquanto isso, a outra parte se torna uma espécie de balão, transformando-se na vesícula vitelina.

Se você é tentante, a ingestão de vitaminas, como o ácido fólico, reduz as chances de má formação do tubo neural e, consequentemente, propicia um desenvolvimento saudável do feto. Por isso, a ingestão de polivitamínicos que contenham os nutrientes necessários para a concepção é fundamental. A FamiFerti foi desenvolvida pela empresa Famivita e, além de prevenir possíveis problemas na formação do feto, é composta de outras vitaminas e minerais que contribuem para o equilíbrio metabólico necessário para a concepção e a manutenção da gravidez. Você pode adquirir a FamiFerti aqui na nossa loja virtual.

Vídeo com vesícula vitelina 6 semanas

O que ela faz?

Assim como a placenta, a vesícula vitelina dá suporte de oxigênio, nutrientes e sangue ao embrião, mas com uma diferença: ela é temporária, pois permanece somente até que a placenta consiga atingir tamanho e maturação para assumir seu papel na gravidez. Estimulada pelo hormônio HCG, ela cresce muito mais rapidamente e, mesmo antes que o bebê possa aparecer, já começa a trabalhar.

O aspecto da vesícula vitelina é bastante peculiar e característico, pois parece um balão de gás, mas em tamanho diminuto, proporcional à fase da gestação. É possível vê-la em ultrassons a partir de 5 semanas, em conjunto com o saco gestacional. O tamanho da vesícula vitelina é muito superior ao do bebê nesta fase. Por isso, é possível não ver o bebê, mas somente ela no primeiro exame. Conforme avançam as semanas, o bebê supera o tamanho da vesícula, e aí, ficará aparente no exame de ultrassom.

Até Quando a Vesícula Vitelina Fica Ativa?

Por regra, a vesícula vitelina fica ativa até por volta de 10 semanas de gravidez, um pouco antes ou depois. Isso porque a placenta deve estar do tamanho certo e com o aspecto ideal para assumir a sua função 100%. Logo após a placenta assumir a nutrição do bebê, a vesícula fica inutilizada e murchará com o passar dos dias. Não é necessário se preocupar com a vesícula após a função da placenta se iniciar, pois esta assumirá rapidamente sem que seja necessário cessar o suporte de vascularização que era constante.

Problemas Com a Vesícula Vitelina

É possível que algumas anormalidades sejam detectadas no primeiro exame de ultrassom. Um deles é o aumento do tamanho da vesícula vitelina ou vesícula vitelina hidrópica. Caso ela se apresente de um tamanho maior que o esperado (entre 3 e 5mm na 6 semana), pode haver algum problema com desenvolvimento do feto.

Porém, não é uma regra, apenas uma possibilidade a qual o médico deve investigar dentro de alguns dias com um novo exame de imagem. Normalmente, a vesícula é maior que o embrião, porém não poderá ultrapassar demais o limite de tamanho de 1 para 2, ou seja, não poderá ser mais do que 2 vezes maior que o bebê em fase inicial. Caso isso aconteça, é preciso investigar o que está acontecendo: se há um estímulo demasiado de hormônios ou se há algum problema genético de má formação fetal.

Veja também: O Que é Saco Gestacional e Qual o Tamanho Correto Para a Gravidez

Foto: acervo pessoal